Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Jogador argentino morre após levar tijolada na cabeça

Franco Nieto, de 33 anos, se envolveu em briga depois de jogo entre Tiro Federal e Chacarita: três agressores foram identificados pela polícia

O Estado de S. Paulo

04 Dezembro 2014 | 12h52

As mortes após brigas no futebol saíram das arquibancadas e ruas e invadiram o gramado. Franco Nieto, jogador e capitão do Tiro Federal, morreu nesta quarta-feira, após receber tijolada na cabeça depois da partida entre o seu clube contra o Chacarita, pela Liga Regional Argentina, no último sábado.

A confusão na cidade de Aimogasta, no norte da Argentina, começou ainda no campo. Nos minutos finais da partida, que era vencida por 3 a 1 pelo Tiro Federal, houve confusão generalizada entre os jogadores e o árbitro teve de expulsar oito e, consequentemente, suspender a disputa.

Um dos três expulsos do Tiro Federal, Nieto acabou encontrando com três torcedores do Chacarita na saída do estádio e levou a tijolada na cabeça, que o deixou desacordado no chão. Encaminhado ao hospital mais próximo, o meia de 33 anos entrou em estado vegetativo após operação malsucedida e morreu após três dias.

A polícia que investiga o assassinato já identificou os três agressores. Cogita-se na imprensa local que dois deles seriam integrantes do time Chacarita, enquanto o outro, um menor de idade e autor da tijolada, seja um barra brava, torcida organizada da Argentina. A polícia ainda não apresentou os detidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.