Jogador baleado pode não jogar mais

O zagueiro argentino Carlos Azcurra, do San Martín (2.ª Divisão da Argentina), atingido por uma bala de borracha em confusão com policiais, no último domingo, em Mendoza, corre o risco de não poder mais jogar futebol. O projétil, disparado pelo cabo Marcial Maldonado, atingiu o pulmão do jogador, que teve que passar por mais de quarto horas de cirurgia em um hospital da cidade. ?Já o vi e a evolução é favorável. Está consciente. Quando entrei, lhe dei a mão e ele me agarrou com força. Disse que tudo irá ficar bem. Por agora, seguirá a recuperação intensiva e na espera de que tenha uma boa evolução, sem conseqüências?, disse o médico do clube, Carlos Bertona, que não descarta a possibilidade de Azcurra não voltar a jogar futebol. ?Não pensamos nisso. Temos que ver as seqüelas do disparo. Mas, a verdade é que será complicado?. Com relação ao policial acusado, o advogado Eduardo Tapia revelou que seu cliente está muito assustado com tudo o que aconteceu e que o tiro foi acidental. ?Analisando todos os elementos que existem, o disparo aconteceu como conseqüência de uma confusão e, acidentalmente, a arma é acionada. Temos que levar em conta que são armas muito sensíveis a qualquer movimento?, disse Tapia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.