Jogador da seleção panamenha é assassinado a tiros perto de casa

Amílcar Henríquez, de 33 anos, foi levado para o hospital ainda com vida, mas não resistiu

O Estado de S.Paulo

16 de abril de 2017 | 01h35

O jogador da seleção de futebol panamenha, Amílcar Henríquez, de 33 anos, foi assassinado neste sábado, 15, na província caribenha de Colón. Ele estava perto de casa com alguns amigos quando uma pessoa chegou em um carro e disparou várias vezes contra o grupo. Outras duas pessoas ficaram feridas. Não há informações sobre o motivo do crime.

Henríquez foi levado para um hospital da região, mas não resistiu. O porta-voz da Polícia Nacional disse que as causas da morte estão sendo investigadas.


A Federação Panamenha de Futebol comentou a morte do jogador nas redes sociais. “Lamentamos profundamente a morte de nosso nacional Almícar Henriquez. Que Deus receba sua alma, Mickey”, diz a mensagem. “Mickey” era o apelido do jogador no país.

O presidente do Panamá, Juan Carlos Varela,  lamentou a morte do jogador. “Condenamos energicamente o assassinato de Amílcar Henríquez; todas as Forças de Segurança de Colón foram mobilizadas até que os responsáveis sejam encontrados”, disse em sua conta no Twitter.

Henríquez jogava no Árabe Unido de Colón e seu último jogo foi disputado na quarta-feira contra o Chorrillo, na Liga Panamenha de Futebol. Ele era um dos jogadores mais veteranos da seleção panamenha de futebol, com a qual disputou va´rias fases de classificação mundial. Com o time, Henríquez participava das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia. /AP e AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.