Jogador do Auxerre acusa assistente de racismo

O meia Kamel Chafni, do Auxerre, planeja fazer uma acusação formal na polícia contra um assistente e espera que os organizadores do Campeonato Francês tomem ações contra o bandeirinha que o teria insultado racialmente no sábado, durante a derrota da sua equipe para o Brest por 1 a 0.

AE-AP, Agência Estado

18 de dezembro de 2011 | 09h45

O jogador marroquino, que foi expulso durante o segundo tempo, afirmou que o assistente Johann Perruaux o insultou. Chafni declarou ao jornal esportivo L''Equipe que quando reclamou com Perruaux sobre uma falta não marcada para o Auxerre, o bandeirinha lhe disse um insulto racista. "Houve uma falta que não foi assinalada, fui em direção ao bandeirinha e disse a ele que não era normal", disse Chafni. "Ele respondeu ''caia fora, árabe''".

Chafni foi reclamar com o árbitro Tony Chapron, que lhe expulsou. "Eu fui falar com o árbitro, eu expliquei para ele o que aconteceu", disse o jogador. "Ele me mostrou um cartão amarelo, eu disse a ele, repetindo que era inaceitável, e ele me mostrou o vermelho".

O jogador espera que Perruaux seja punido. "Quero ir até o fim com isso. É sério, vai além do esporte", disse. "Espero que a Liga abra um inquérito e o puna. Se não acreditam em mim, meu lugar não é mais no futebol francês. Estou indignado".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolAuxerreKamel Chafniracismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.