Amr Abdallah Dalsh / Reuters
Amr Abdallah Dalsh / Reuters

Jogador do Egito na Copa de 90 aposta em Salah por boa campanha na Rússia

Mahmoud Abdelghany fez o tento do Egito no Mundial há 28 anos, na Itália

Estadão Conteúdo

14 Março 2018 | 11h14

28 anos depois, o Egito voltará a jogar uma Copa do Mundo. Depois de 1990, quando saiu do torneio com dois empates e uma derrota, a nação africana estará na Rússia. Mahmoud Abdelghany, que estava no grupo que disputou a Copa de 1990 pelo país, aposta em Mohammed Salah para fazer um bom papel e até passar de grupo, como grande parte de seus compatriotas. 

+ Fifa confirma mais de 356 mil ingressos da Copa alocados em nova fase de vendas

+ Colecionadores do álbum da Copa terão novidade para guardar figurinhas

"Eu espero que o Egito alcance bons resultados na Rússia e que os jogadores consigam marcar gols. Eu espero que Mohamed Salah tenha a distinção de ser o nosso primeiro jogador a ir às redes, especialmente porque ele está tendo ótimas performances com o Liverpool e marcando quase toda vez que joga", afirmou Abdelghani em entrevista ao site da FIFA.

Abdelghani é um dos poucos jogadores egípcios que teve a sorte de representar o país em uma Copa do Mundo, e um dos dois que marcou um gol (o outro foi Fawzi, em 1934). Na Copa de 1990, fez gol de pênalti que determinou o empate entre a seleção do país africano e a Holanda em 1 a 1. O ex-jogador relembrou o feito na entrevista.

"Não nos abalamos depois do gol deles. Fomos ao ataque e criamos diversas oportunidades antes de conseguir o pênalti. O treinador havia me colocado como primeira escolha de batedor, mas eu não esperava que ganhássemos um. Coloquei a bola na marca e decidi bater no mesmo lado que havia escolhido muitas vezes antes. Marcamos e empatamos, e houve júbilo ao longo de todo nosso país. Foi um gol sem preço que nos fez ganhar um ponto em um jogo grande contra os campeões europeus", relatou.

O Egito está no grupo A da Copa, junto com Rússia, Arábia Saudita e Uruguai. "Acredito que conseguimos escapar dos melhores times. O sorteio acabou nos deixando bem de certa forma, e até a ordem dos jogos está a nosso favor", comentou Abdelghani.

Salah já é idolatrado na nação africana. O atacante marcou o gol que voltou a colocar o Egito em uma Copa, em um pênalti aos 50 minutos do segundo tempo contra o Congo. Além disso, a ótima temporada que faz no Liverpool, onde já marcou 32 gols em menos de um ano, faz com que o atacante seja a grande esperança do país de passar de fase pela primeira vez na história.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.