PAUL ELLIS / AFP
PAUL ELLIS / AFP

Greenwood, do Manchester United, é solto após pagar fiança: ele é acusado de tentativa de estupro

Jogador de 20 anos havia sido detido para esclarecimentos após a sua namorada, Harriet Robson, acusá-lo nas redes sociais

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de fevereiro de 2022 | 15h56

O atacante Mason Greenwood, do Manchester United, foi liberado da prisão na cidade de Manchester, na Inglaterra, nesta quarta-feira, dia 2, mediante o pagamento de fiança. Detido para prestar esclarecimentos, o atleta de 20 anos é suspeito de agredir e tentar estuprar sua namorada, a modelo e influenciadora digital Harriet Robson. Áudios e vídeos publicados pela própria Harriet em suas redes sociais mostram ferimentos que teriam sido provocados pelo jogador do tradicional clube inglês.

A polícia de Manchester vai continuar a investigação do caso. Segundo relatos da imprensa britânica, o Manchester United, clube no qual o atleta possui contrato até junho de 2025, não oferecerá auxílio legal ao jogador. 

Desde o anúncio de sua prisão, o atleta já havia sido afastado do time. O clube também informou que o jogador não voltará a treinar ou atuar pela equipe até segunda ordem. A Nike, patrocinadora de Greenwood, divulgou um comunicado em que se diz "preocupada com as alegações perturbadoras" e que continuará monitorando a situação de perto". Além disso, o jogador também teve sua imagem retirada do jogo "Fifa 22" pela desenvolvedora de games EA Sports. 

Greenwood também não deve encontrar apoio dentro do elenco. O atleta deixou de ser seguido nas redes sociais por seus companheiros de United, como o atacante e astro português Cristiano Ronaldo e ainda Harry Maguire e Paul Pogba. Depois de chegar ao time profissional em 2019, o jogador participou de 129 partida pelos "Diabos Vermelhos" e começou a conquistar espaço na seleção inglesa no ano seguinte. A Federação de Futebol da Inglaterra ainda não se manifestou.

Apesar de solto após pagar a fiança, a polícia continua a investigar o caso. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.