Reprodução/YouTube
Reprodução/YouTube

Jogador do Operário-MS recebe 12 jogos de suspensão por espancar gandula

Jeferson Reis foi julgado pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-MS)

Estadão Conteúdo

02 Março 2018 | 16h42

O jogador Jeferson Reis, do Operário-MS, pegou 12 jogos de suspensão por ter espancado o gandula durante o duelo da sua equipe contra o Comercial, no domingo, no estádio Morenão, pelo Estadual do Mato Grosso do Sul. O julgamento aconteceu na noite de quinta-feira, no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-MS).

+ Gandula que foi espancado por jogador fazia bico para pagar a faculdade

Além do atleta, o massagista da equipe, Raul dos Prazeres, recebeu a mesma punição por também ter brigado com o gandula. Do lado do Comercial, Jeferson Baré, que deu uma voadora em Jeferson Reis, recebeu suspensão de oito jogos. O gandula, Tadeu Francisco Kutter Júnior, que atua na base do Comercial, recebeu gancho de 30 dias.

Os dois clubes ainda foram multados. O Operário, em R$ 1 mil, e o Comercial, como era o mandante, em R$ 2 mil. O procurador Wilson Pedro dos Anjos, responsável pelo caso, classificou o episódio como espetáculo de selvageria.

No dia seguinte ao episódio, o Operário emitiu comunicado em seu site para informar que havia afastado Jeferson Reis e o massagista. A confusão começou quando Jô marcou o único gol do triunfo do Comercial, aos 45 minutos do segundo tempo.

O gandula Tadeu Francisco celebrou a vitória e, com isso, deu início à briga. As câmeras de televisão flagraram Jeferson Reis agredindo Tadeu violentamente, com diversos socos na cabeça.

Posteriormente, o gandula explicou que foi agredido inicialmente pelo massagista Raul dos Prazeres e respondeu da mesma forma, o que teria despertado a ira de Jeferson Reis. Tadeu garantiu ainda que recebeu chutes e socos de outros jogadores do Operário, como o experiente Rodrigo Gral, de 40 anos, com passagens por clubes como Grêmio, Flamengo, Bahia e Sport.

Mais conteúdo sobre:
futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.