Divulgação
Divulgação

Jogador do São Caetano tem julgamento adiado em uma semana

Danielzinho corre risco de ser punido por até seis meses por carrinho violento em Ferrugem

AE, Agência Estado

18 de março de 2013 | 19h04

SÃO PAULO - Correndo risco de ser punido por até seis meses pela lesão causada ao volante Ferrugem, da Ponte Preta, o atacante Danielzinho, do São Caetano, teve julgamento adiado em uma semana, nesta segunda-feira, pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-SP) para que a defesa possa juntar provas para defendê-lo.

Como o jogador não foi expulso pelo árbitro Luiz Vanderlei Martinucho, Danielzinho foi denunciado pela procuradoria por meio do vídeo do lance. Na disputa de bola, o atacante deu um carrinho violento em Ferrugem, que teve uma fratura no tornozelo e uma ruptura nos ligamentos mediais do tornozelo. O meio-campista da Ponte passou por uma cirurgia e ficará afastado por seis meses dos gramados.

Danielzinho foi enquadrado no artigo 254 - praticar jogada violenta - parágrafo 1ºII que diz que "a atuação temerária ou imprudente na disputada da jogada, ainda que sem a intenção de causar dano ao adversário", com pena de uma a seis partidas de suspensão.

Ele também foi denunciado no parágrafo 3º, que diz "na hipótese de o atingido permanecer impossibilitado de praticar a modalidade em consequência de jogada violência grave, o infrator poderá continuar suspenso até que o atingido esteja apto a retornar ao treinamento, respeitando o prazo máximo de cento e oitenta dias".

O caso repercutiu bastante na última semana. Em redes sociais, Danielzinho foi bastante hostilizado por torcedores da Ponte Preta. A diretoria do time campineiro também faz pressão para que o jogador receba uma punição severa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.