Jogador do Steua denuncia insultos e ameaças de dono do clube

Um dos jogadores do Steaua Bucareste denunciou a situação vivida pelo elenco devido às ameaças e insultos de Gigi Becali, proprietário do clube, em participação nesse domingo, em um programa de televisão romeno.

EFE

21 de setembro de 2009 | 11h59

 

Protegido pelo anonimato, o jogador do Steaua disse que o polêmico proprietário da entidade transformou o ambiente na equipe em um inferno.

 

O jogador deu detalhes sobre o que aconteceu no vestiário na quinta-feira passada durante o intervalo do jogo pela Liga Europa entre o Steaua e o Sheriff Tiraspol, que acabou com a demissão do técnico Cristiano Bergodi.

 

Segundo o jogador, Becali entrou furioso nos vestiários após o primeiro tempo, no qual sua equipe não conseguiu abrir o marcador perante seu modesto rival, e recriminou a atuação de vários jogadores, que aguentaram a ira do magnata olhando para o chão em silêncio.

 

Naquele momento, o técnico interveio, convidando de forma educada Becali a sair e fechando a porta. O empresário acusou depois do jogo Bergodi de não tê-lo deixado entrar no vestiário e o demitiu por isso.

 

O próprio Bergodi confirmou a versão do jogador e disse que levará Becali perante a Fifa se não receber todo o dinheiro que lhe pertence por contrato.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolRomêniaSteua BucaresteFifa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.