Andrew Boyers/Reuters
Andrew Boyers/Reuters

Jogador exalta reviravolta na estreia e garante que Al Ain pode vencer o Mundial

Hussein Elshahat, que estará em campo contra Espérance, da Tunísia, neste sábado, está bastante confiante

Estadão Conteúdo

14 Dezembro 2018 | 17h27

Dono da casa, o Al Ain teve mais dificuldade que o esperado, mas venceu na estreia do Mundial de Clubes. Diante do Team Wellington, da Nova Zelândia, o time dos Emirados Árabes Unidos saiu perdendo por 3 a 0, mas buscou o empate e levou a melhor nos pênaltis. Para o atacante Hussein Elshahat, tal reviravolta dará motivação à equipe, inclusive para o duelo diante do Espérance, da Tunísia, neste sábado.

"Nós precisamos aprender com a partida diante do Team Wellington e marcar um gol cedo para ajudar a ficar no controle de tudo e vencer. É muito importante que marquemos primeiro e não repitamos o cenário do primeiro jogo. Nós precisamos estar mais focados na próxima partida", afirmou em entrevista ao site da Fifa.

O Al Ain entrou no torneio como representante do país sede, após ter conquistado o título nacional. E na estreia, contou com a força de sua torcida para buscar a classificação. "Nossos torcedores foram mais importantes que os jogadores contra o Team Wellington. Eles nos motivaram para virar e nos encorajaram nos momentos difíceis", considerou Elshahat.

O jogador pareceu mesmo motivado pela virada na estreia e não se deixou abalar pela fragilidade demonstrada em alguns momentos diante dos neozelandeses. Pelo contrário, exaltou a força do time árabe e garantiu que o objetivo é conquistar o título mundial.

"Nosso objetivo é competir e conquistar o título. Se estamos jogando em nossa casa e temos o apoio dos nossos apaixonados torcedores, o título tem de ser considerado", afirmou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.