Jogador pego utilizando a mesma substância que Romário usou

Substância finasterida é encontrada no exame do jogador Borja Criado, do Ciudad de Múrcia

Efe

17 de janeiro de 2008 | 18h32

O jogador espanhol Borja Criado foi condenado a dois anos de suspensão após ser pego num exame antidoping feito há quase um ano para a substância finasterida, usada contra a calvície, em caso similar ao do atacante Romário, do Vasco da Gama. O próprio Criado comentou que seu caso é semelhante ao de Romário, mas lembrou que o jogador do Vasco pegou 120 dias de suspensão e não dois anos, como ele. O exame de Criado foi feito em fevereiro de 2007, quando ele ainda defendia o Ciudad de Múrcia, da segunda divisão do Campeonato Espanhol.Atualmente, o jogador está no Granada 74, também do segundo escalão espanhol. Criado, de 25 anos, recebeu a confirmação da pena, decretada pelo Comitê Espanhol de Disciplina Esportiva, por meio de seu advogado na terça-feira.O atleta espanhol disse que "foi um erro" não ter comunicado ao departamento médico do Ciudad de Múrcia que estava tomando a substância contra a calvície desde 2001. Em coletiva ao lado de dirigentes do time, o jogador do Granada 74 falou que estuda possíveis recursos contra a sentença.Quanto a seu futuro, Criado disse: "Gostaria de continuar no futebol. Se não puder, agradecerei a todos que me permitiram ser jogador".A finasterida é proibida porque pode servir para mascarar o uso de substâncias dopantes. Romário foi punido depois de exame antidoping realizado após o empate por 2 a 2 contra o Palmeiras, em outubro, pelo Campeonato Brasileiro.

Tudo o que sabemos sobre:
dopingRomário

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.