Jogador que não for à cerimônia não recebe prêmio, na África

Decisão é da confederação do continente após polêmica envolvendo o atacante Drogba, do Chelsea

EFE

07 de fevereiro de 2008 | 16h05

A Confederação Africana de Futebol (CAF) esclareceu nesta quinta-feira que seu Comitê Executivo decidiu no dia primeiro de fevereiro que os jogadores que não comparecerem à cerimônia de entrega do prêmio de melhor jogador da África serão desclassificados. A decisão da CAF, divulgada por meio de um comunicado, foi tomada após a polêmica gerada pelas palavras do atacante marfinense Didier Drogba, que afirmou que um diretor da Confederação Africana disse que ele não receberia o prêmio caso não fosse à entrega do mesmo. Finalmente, o prêmio, entregue no mesmo dia primeiro de fevereiro em Lomé (Togo), foi concedido ao atacante malinês Kanouté. O documento divulgado pela CAF afirma que esta decisão "foi comunicada no dia primeiro de fevereiro a todos os envolvidos com referência especial à cerimônia de premiação programada para este dia". O responsável de comunicação da CAF, Suleiman Habuba, desmentiu na quarta que tenha ligado para Drogba e Kanouté para lhes afirmar que tinham que comparecer à cerimônia para terem chances de conquistarem o prêmio, que acabou sendo dado ao jogador do Sevilla.

Tudo o que sabemos sobre:
CAFfutebol africanoprêmio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.