Marko Djurica/Reuters
Marko Djurica/Reuters

Jogador sérvio é condenado a 3 meses de prisão domiciliar por violar quarentena

A polícia prendeu Aleksandar Prijovic e outras 19 pessoas que estavam reunidas no lobby de um hotel em Belgrado na noite da última sexta-feira

Redação, Estadão Conteúdo

05 de abril de 2020 | 09h22

O sérvio Aleksandar Prijovic, atacante do Al-Ittihad, da Arábia Saudita, foi condenado a três meses de prisão domiciliar por desrespeitar no sábado o toque de recolher em seu país, imposto para conter a disseminação do novo coronavírus.

O jogador de 29 anos foi considerado culpado em um julgamento feito via videoconferência em Belgrado, capital da Sérvia, neste sábado.

A polícia prendeu Prijovic e outras 19 pessoas que estavam reunidas no lobby de um hotel em Belgrado na noite da última sexta-feira. Eles violaram o toque de recolher na Sérvia, que proíbe que as pessoas circulem entre 17 horas e 5 da manhã do dia seguinte.

O governo também pediu aos sérvios para evitarem piqueniques, atividades de lazer e todas as formas de reuniões públicas. Até o momento, a Sérvia registrou 1.624 casos confirmados de covid-19 e 44 mortes.

Prijovic, de 29 anos, é o segundo jogador sérvio a descumprir o isolamento social. O primeiro foi Luka Jovic, do Real Madrid, que também desrespeitou a quarentena ao deixar a Espanha e ir para Belgrado comemorar o aniversário de sua namorada no mês passado.

A lei local prevê pena de até três anos de prisão para quem violar as medidas restritivas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.