Thais Magalhães / CBF
Thais Magalhães / CBF

Jogadora da seleção faz comentário homofóbico sobre Paulo Gustavo; depois, pede perdão

Chú afirmou que o ator iria para o inferno por sua sexualidade e outras atletas, como Marte e Cristiane, criticam; Palmeiras afirma que caso será tratado internamente

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de maio de 2021 | 00h34

A atacante Chú, do Palmeiras e da seleção brasileira, publicou um comentário homofóbico em seu Facebook ao comentar a morte de Paulo Gustavo. Em uma comparação entre o ator e o cantor gospel e político Irmão Lázaro, que morreram em 2021 por conta da covid-19, Chú afirmou que a diferença entre os dois é que Lázaro iria para o paraíso e Paulo Gustavo para o inferno, por conta da sexualidade.

A imagem do comentário passou a circular e atraiu muitas críticas para a jogadora e para o clube. Ambos se manifestaram durante o dia: Chú pediu perdão, enquanto o clube afirmou que ela entendeu o erro e recebeu orientação para ter um comportamento adequado.

"Da mesma forma que tive peito de ir lá e comentar no facebook, também tenho peito de vir aqui me desculpar. Pode ter certeza que não vai mais acontecer, foi um impulso e acabou gerando esse comentário. Quero pedir desculpas a todos vocês, se atingiu vocês de alguma forma. Peço desculpas e quero que vocês me perdoem", afirmou Chú em vídeo publicado nas redes sociais. Posteriormente, ela limitou quem poderia ver suas postagens.

Outras jogadoras já haviam criticado a postura. Katiuscia, lateral-direita do Corinthians, escreveu em seu Twitter: "Quando chegar lá no céu, não vai ter Deus pra julgar não, vai ter a Chú pra julgar quem sobe e quem desce". Kika Brandino, atleta do Grêmio, também se manifestou: "Religião não é desculpa, LGBTfobia é crime". Parte da torcida do Palmeiras criticou a postura do clube no episódio e pediu a rescisão de contrato com a jogadora.

Marta e Cristiane também se manifestaram. "Não julguem. Só Deus pode julgar, tá? Ninguém sabe o dia de amanhã, não é isso? Ninguém pode julgar ninguém: quem vai para o céu, para o inferno. Isso aí é com Deus", afirmou a meiocampista do Orlando City.

"Em meio a tantas lutas, preconceitos e piadas que nos fazem mal, temos uma atleta do nosso meio que, sem o mínimo de respeito e amor ao próximo (que é isso que Deus deseja a todos), vem com seu falso moralismo, julgando e atacando as pessoas", criticou Cristiane, atualmente no Santos.

O Palmeiras enfrentou o Corinthians pelo Campeonato Brasileiro Feminino na noite desde domingo. Antes da partida começar, a música 'Toda Forma de Amor', de Lulu Santos, foi reproduzida nos alto-falantes do Parque São Jorge; durante o minuto de silêncio pelas vítimas da covid-19, as atletas corintianas fizeram um coração com a mão, também em sinal de protesto.

Em campo, Corinthians e Palmeiras empataram em 1 a 1. O time alviverde saiu na frente com gol de Bruna Calderan, e Vic Albuquerque empatou pouco depois. O Palmeiras é o líder do Campeonato Brasileiro Feminino, e o Corinthians está na segunda colocação, mas pode ser ultrapassado pelo Santos nesta segunda, no complemento da rodada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.