Jogadores da atual seleção podem estar na Copa-2014, diz Dunga

Um dia depois da oficializaçãodo Brasil como sede da Copa do Mundo de 2014, o técnico Dungamanteve o assunto em alta ao afirmar, nesta quarta-feira, quevê a maioria de seu time com possibilidades de defender aseleção no Mundial que será realizado em casa daqui a seteanos. Membro da delegação brasileira que esteve na sede da Fifa,em Zurique, para o anúncio da véspera, Dunga voltou diretamentepara o Rio de Janeiro, onde nesta tarde convocou 22 jogadorespara os próximos jogos das eliminatórias da Copa de 2010. Dunga surpreendeu ao afirmar que boa parte de seusjogadores ainda terá condições de servir a seleção brasileiradaqui a sete anos. Tendo como base os três principais jogadores do momento,Dunga pode ter razão. Robinho estará com 30 anos, Kaká com 32,e Ronaldinho Gaúcho será um veterano de 34. "Espero que a maioria dos jogadores tenha condições, vaidepender da individualidade, da forma de se cuidar de cada um",disse o treinador a jornalistas. "A princípio, nós temos que pensar em 2010. O Brasil é umceleiro de jogadores. O dia-a-dia, cada jogo, é que vai dizerpra nós se esses jogadores estarão em 2010 e 2014. Não dependeda nossa opinião, depende do que eles vão fazer em campo",acrescentou. O treinador recusou-se a comentar nomes de possíveis jovensque estejam sendo observados por ele com vistas aos JogosOlímpicos de 2008 e que potencialmente poderiam estar noMundial de 2014. Entretanto, três jogadores receberam o aval dele para umaeventual participação na Copa do Brasil: Anderson (ManchesterUnited), Lucas (Liverpool) e Marcelo (Real Madrid), todos jáconvocados por Dunga em alguma oportunidade. "São jogadores que chamamos com essa intenção de fazer umtrabalho na seleção. Eles estão aproveitando essa oportunidade,e lógico que se continuarem como titulares em seus clubes vejocom totais condições de fazerem parte da seleção", disse. Dunga afirmou que tanto na Suíça quanto em Paris, onde fezconexão, e até mesmo no vôo de volta ao Brasil, ele foibastante saudado pelas pessoas, que vibravam com a realizaçãopela segunda vez na história de um Mundial no país --o Brasilorganizou também a Copa do Mundo de 1950. "O povo brasileiro sabe da dificuldade que é concorrer comoutros países, outras potências, que mesmo sem estarconcorrendo diretamente, estavam esperando qualquer problema oua desistência do Brasil", afirmou. Sobre sua própria situação na Copa do Brasil, o treinadorpreferiu ser cauteloso: "Como em qualquer competição e qualquercoisa que envolve a seleção, vou estar como brasileirotorcendo, e com muito orgulho".

PEDRO FONSECA, REUTERS

31 de outubro de 2007 | 17h18

Tudo o que sabemos sobre:
FUTDUNGACOPABRASIL

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.