Jogadores da seleção culpam entrosamento por empate com a Itália

Após abrir 2 a 0, equipe se perdeu em campo e permitiu a reação dos adversários

Agência Estado,

21 de março de 2013 | 18h40

GENEBRA - Na segunda partida da nova era Felipão no comando da seleção brasileira, a falta de entrosamento da equipe falou mais alto para o empate em 2 a 2 com a Itália, em amistoso jogado em Genebra (Suíça), nesta quinta-feira. Pelo menos essa foi a avaliação feita pelo volante Fernando, que estreou com a camisa da equipe principal do Brasil já como titular.

"No primeiro tempo a gente conseguiu se impor. Começamos mal, mas melhoramos. O principal (problema) é o entrosamento, que falta para a gente. A gente não pode levar dois gols, levar o empate ganhando de 2 a 0. Serve de aprendizado para que a gente possa melhorar nas próximas partidas", comentou o volante do Grêmio, ao fim do jogo.

O discurso dele coincide com o do goleiro Julio Cesar, que, já na saída para o intervalo, quando o Brasil ganhava de 2 a 0, reclamou do excesso de passes errados. "Tivemos um porcentual de erro de passes um pouco acima da média no meio-de-campo."

O zagueiro David Luiz reconhece que a equipe falhou também defensivamente, tanto que levou dois gols em questão de três minutos (aos 8 e aos 11 do segundo tempo). "Eles criaram oportunidades, não conseguimos pará-los. Estava controlado o jogo. A gente sabia que esse placar (2 a 0) era perigoso."

Uma das boas notícias da partida para o Brasil foi o segundo gol de Fred na era Felipão, indicando que pelo menos dentro da área a equipe não deverá ter problemas. "Tem que estar preparado para finalizar de primeira, porque o espaço é curto. Fui feliz em finalizar para o gol", disse ele, comentando o gol que abriu o placar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.