Jogadores de Angola elogiam colegas da seleção brasileira

O futebol brasileiro faz sucesso também entre os jogadores da seleção de Angola, fãs confessos dos jogadores que tentarão o sexto título mundial na Copa da Alemanha. João Ricardo, goleiro titular do time africano, disse admirar o futebol de Rogério Ceni e Dida, companheiros de posição."O Rogério Ceni tem uma carreira invejável, conheço seu futebol, principalmente pelos gols que marca", contou o angolano. "E o Dida, apesar de não fazer gols, é o que tem mais nome, defende um dos times mais importantes da Europa e está em boa fase", opinou. "Mas não me pergunte qual dos dois deve jogar, pois essa é uma questão para o treinador resolver", brincou o goleiro, atualmente sem clube.A preferência de Delgado é pelo lateral-esquerdo Roberto Carlos, do Real Madrid. "Ele atua na mesma posição que eu, procuro me espelhar em algumas coisas que ele faz", comentou o jogador do Petro Atlético, de Luanda. Para outros, a admiração pelo futebol brasileiro vai além do fato de o jogador estar ou não na Copa do Mundo.O meia Edson admira o meia Carlos Alberto, do Corinthians. "Gosto muito de vê-lo em ação, é muito rápido e habilidoso", afirmou o jogador do Paços Ferreira, de Portugal. Aliás, foi no futebol português que Edson conheceu o brasileiro, que se sagrou campeão nacional, europeu e do Mundial Interclubes pelo Porto. "O Brasil tem vários jogadores que nos inspiram muito", ressaltou.Enfrentar o Brasil na Copa é apenas um sonho distante para os jogadores de Angola, que participa pela primeira vez do Mundial. O elenco sabe que terá enormes dificuldades para lutar por uma das vagas do Grupo D, que tem ainda Portugal, Irã e México. "Somos um time humilde, não temos a estrutura que outras seleções têm", admitiu o assistente técnico Alvaro de Almeida. "Estar na Copa já é uma grande conquista para nosso país, mas vamos trabalhar para melhorar até a estréia, contra Portugal."IncentivoO apoio que o elenco vem recebendo da população de Celle, local onde o time está concentrado, é um dos elementos que pode ajudar Angola a surpreender os ex-colonizadores em seu primeiro jogo na Copa.A pacata cidade de 71 mil habitantes, localizada na Baixa Saxônia, ao Norte da Alemanha, ainda conserva prédios construídos no século 17, vários dos quais se tornaram museus. Quando os africanos desembarcaram no lugar, há cerca de duas semanas, foram recebidos com festa, por centenas de pessoas. E o apoio não parou, desde então.No centro comercial, muitas lojas enfeitaram suas vitrines com a bandeira e as cores de Angola. Pelas ruas, moradores passeiam com cachecóis e adereços alusivos aos ilustres visitantes. "Não imaginava que seríamos recebidos dessa forma, estamos até surpresos com o apoio que estão nos dando", comentou Delgado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.