Bruno Cantini/Atlético
Bruno Cantini/Atlético

Jogadores de Cruzeiro e Atlético-MG homenageiam vítimas da tragédia de Brumadinho

'A gente sente pelos familiares das vítimas de Brumadinho', disse Fábio Santos, que não comemorou seu gol

Redação, Estadão Conteúdo

27 de janeiro de 2019 | 15h41

Após marcar o gol de empate no clássico contra o Cruzeiro, o lateral-esquerdo Fábio Santos foi discreto na comemoração, na partida disputada neste domingo no Mineirão e válida pela terceira rodada do Campeonato Mineiro. Segundo o jogador, o elenco do Atlético já tinha combinado que o momento não era para festas por conta da tragédia na cidade de Brumadinho.

"Nosso maior prazer é fazer gols, principalmente no clássico, mas a gente sente pelos familiares das vítimas de Brumadinho. Meu apoio e toda força ao pessoal de lá", disse Fábio Santos ao final da partida.

O rompimento de uma barragem de Brumadinho, a 65 quilômetros de Belo Horizonte, ocorreu na última sexta-feira. Após a catástrofe, já foram encontrados 37 corpos de pessoas mortas, sendo que mais de 280 estão desaparecidas.

Autor do gol do Cruzeiro, que abriu o placar, o centroavante Fred também tocou no tema. "A gente tem orado pelas famílias, orando para que Deus opere milagres e para que encontrem cada vez mais vidas. Orando pelo coração dos familiares que perderam. Já que teve jogo, a gente veio e jogou. A gente tentou fazer algumas doações, mas disseram que as doações já eram suficientes. O povo brasileiro é bem solidário. Agora é pedir que não aconteça mais. Aconteceu em Mariana, aconteceu agora", desabafou.

Antes da partida, foi respeitado um minuto de silêncio com jogadores de Cruzeiro e Atlético abraçados. Mesmo com mais de 43 mil pessoas presentes ao Mineirão, o silêncio foi respeitado e seguido por muitas palmas em momento de grande emoção.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.