Jogadores do Boca Juniors protestam

Os jogadores do Boca comemoraram a classificação para a final da Libertadores com protestos contra a diretoria. O elenco está revoltado com o atraso no pagamento de vários prêmios e chegou a atrasar, em 18 horas, a viagem para São Paulo, onde eliminou o Palmeiras na noite de quarta-feira. O alvo principal do descontentamento é o diretor financeiro Orlando Salvestrini.O confronto entre jogadores e dirigentes ficou evidente na segunda-feira. Pouco antes da viagem, houve cobrança de prêmios pela conquista do Mundial Interclubes, do Torneio Abertura da Argentina e da primeira fase da Libertadores. Silvestrini não aceitou as reclamações e ainda sugeriu que os profissionais "procurassem um psicólogo". Daí, a operação-tartaruga.A resposta veio ainda nos vestiários do Palestra Itália. Segundo relatam jornais argentinos desta quinta-feira, não faltaram desabafos dos jogadores, repletos de insultos. Houve quem mostrasse camiseta com a inscrição "Silvestrini ao psicólogo" ou "Paguem e fiquem quietos." O braço-de-ferro com os dirigentes não foi retomado nesta quinta-feira, no regresso a Buenos Aires. O goleiro Córdoba, que pegou dois pênaltis (cobrados por Alex e Basílio), não reforçou comentários de que os jogadores atuaram com medo contra o time brasileiro. Mas admitiu que, após o término do torneio sul-americano, alguns atletas devem sair do clube, como conseqüência do desgaste provocado pelo confronto com a diretoria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.