Jogadores do Botafogo completam 3 meses sem salários, mas treinam

Time diz que vai se dedicar para livrar clube do rebaixamento pela torcida, apesar da possibilidade de rescisão de contrato na Justiça

Estadão Conteúdo

07 de agosto de 2014 | 18h54

O Botafogo completou nesta quinta-feira três meses de atraso no pagamento de salários dos atletas - o direito de imagem não é pago há seis -, e, com isso, eles já podem pedir a rescisão de seus contratos. Mesmo assim, o grupo de jogadores trabalhou normalmente no turno da tarde.

Antes da atividade, jogadores e comissão técnica conversaram por cerca de 15 minutos. O diretor técnico do clube, Wilson Gottardo, também estava presente.

No fim da manhã, o volante Gabriel conversou com a imprensa e descartou a possibilidade de deixar o clube devido aos atrasos. "Essa atitude não seria a mais correta neste momento. Não é fácil a situação na tabela e fora de campo. Quanto menos a gente se preocupar com isso, melhor para o grupo, para trazer a torcida para o nosso lado", considerou.

Como o Criciúma recuperou os pontos perdidos no STJD, o Botafogo ocupa a 16.ª colocação na tabela do Brasileirão. Se perder para o Atlético-PR domingo, em jogo com portões fechados na Arena da Baixada, o time corre o risco de terminar a rodada na zona de rebaixamento.

"Nunca joguei com portões fechados e tenho certeza que o clima muda bastante, mas a concentração da gente tem que ser a mesma. É um jogo de Campeonato Brasileiro, vale três pontos e vamos fazer de tudo para conquistarmos a vitória", concluiu Gabriel.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBotafogo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.