Divulgação
Divulgação

Jogadores do Botafogo festejam com troféu velho a Taça Guanabara

René Simões desabafa após conquista e se diz vencedor no futebol

Estadão Conteúdo

09 de abril de 2015 | 10h17

O técnico René Simões não escondeu sua empolgação com a conquista da Taça Guanabara, o primeiro turno do Campeonato Carioca, que o Botafogo alcançou após vencer o Macaé por 1 a 0, nesta quarta-feira, no Engenhão. A conquista já foi mais importante. Sem taça, o clube improvisou o caneco de 2010, levando para o estádio. A taça desta temporada será entregue no fim de semana. Pela conquista, o Botafogo ganhará da Federação Carioca R$ 1 milhão.

Após a vitória sobre o Macaé por 1 a 0, os jogadores do Botafogo acompanharam fim da partida do Flamengo para só depois festejar a conquista. Os quatro grandes do Rio agora se enfrentam em jogos de ida e volta para saber quem será o campeão estadual de 2015. O Botafogo mede forças com Fluminense, de Fred, enquanto que Vasco e Fluminense fazem a outra semifinal.

Após a festa do Botafogo, René Simões exaltou o peso deste título para o time, assim como exibiu certo tom de desabafo ao valorizar sua carreira no futebol como treinador. "Vejo essa conquista com tranquilidade, embora tenha lido que o René não tem títulos. São mais de 20", afirmou o comandante, que fez sucesso sob o comando da seleção brasileira feminina, com a qual foi medalhista de prata nos Jogos Olímpicos de 2004, e trilhou boa parte de sua carreira no exterior em centros de pouca expressão no cenário internacional.

Questionado por nunca ter conquistado um título de grande expressão no Brasil ou fora do País, René também alfinetou seus críticos. "Muita gente não sabe o que conquistei no Catar, no Caribe..., mas ser campeão na minha cidade tem sabor especial e ainda mais num gigante como o Botafogo". O comandante teve como grande mérito o fato de já ter conseguido fazer o Botafogo engrenar com um time limitado, que precisou ser montado rapidamente após a queda para a Série B do Campeonato Brasileiro, além dos problemas financeiros. Ciente desta realidade, exaltou que o espírito de luta da sua equipe foi fundamental para a conquista da Taça Guanabara.

"Não sei se o time já tem credibilidade de performance. Mas de empenho, sim. Ainda temos de melhorar a performance. Com o que nós prometemos no início, que era muito trabalho e dedicação, o Botafogo está com um crédito muito grande", enfatizou.

REVANCHE

O Botafogo tem muitos motivos para comemorar essa conquista, mas René sabe que agora precisa ir atrás do título mais importante, que é o de campeão do Campeonato Carioca. E, para que isso seja possível, a equipe terá de superar o Fluminense nas semifinais. O mata-mata neste clássico será uma revanche para os botafoguenses, que sofreram diante da equipe tricolor o único revés na primeira fase do torneio estadual, na qual acumula 11 vitórias, três empates e justamente esta derrota.

"Foi a única derrota do Botafogo. Então está guardada, já discutimos muito isso quando fizemos a análise daquela partida. Perdemos merecidamente. Fluminense fez sua grande partida do campeonato contra nós. Agora, vamos ao Fluminense", projetou René, que por clubes que dirigiu no Brasil foi campeão apenas do Campeonato Baiano de 2005, pelo Vitória, e da Série B do Brasileiro de 2007, pelo Coritiba.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBotafogoTaça Guanabara

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.