Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

Jogadores do Corinthians pedem para ignorar futebol ruim

'Não tem o que temer. Tem que pensar na quarta-feira. Não é para fazer um carnaval', discursa o meia Edu

Tercio David, estadao.com.br

20 de fevereiro de 2010 | 22h18

O Corinthians avisa: o 0 a 0 com o Rio Branco neste sábado, pelo Campeonato Paulista, não deve servir de referência para nada, principalmente para a estreia na Copa Libertadores, na próxima quarta-feira, contra o Racing (URU). O futebol ruim se explica pela escalação de um time cheio de reservas.

Veja também:

linkJOGO - Leia como foi Corinthians 0x0 Rio Branco

lista PAULISTÃO - Leia mais sobre a competição

PAULISTÃO 2010 - lista Tabela | tabelaClassificação

"Estou tranquilo [quanto ao resultado], não tem o que temer. Tem que pensar na quarta-feira. Não é para fazer um carnaval. Eles não fizeram nada no jogo. Não considero um tropeço. Perdemos chances de gol e não tomamos sufoco", explica o meio-campista Edu.

Ele ainda reforça a teoria de que na próxima partida será diferente. "O torcedor saiu um pouco triste com a gente, mas não acho que seja para tanto. O time ainda está desentrosado, eu mesmo faz tempo que não jogo. Não faltou vontade, mas errei lances e acertei também. Se saísse um golzinho poderíamos até fazer um resultado bom."

Outro que justifica a situação do time alvinegro é o volante Marcelo Mattos, apontando como exemplo uma substituição: "O Mano [Menezes, técnico] poupou alguns jogadores. O Morais, por exemplo, foi tirado do jogo porque sentiu um pouco. o importante é preservá-lo para quarta."

A expectativa é de que para a partida de estreia no torneio continental todos os jogadores do grupo - inclusive o atacante Ronaldo, que se recupera de contusão e treinou fisicamente neste sábado no Parque São Jorge - estejam à disposição para jogar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.