Matheus Dias/FFC
Matheus Dias/FFC

Jogadores do Figueirense apresentam lista de pendências para greve ser encerrada

Atletas não treinam há dois dias e o STJD deu um limite de 15 dias para o clube quitar os débitos antes de puni-lo

Redação, Estadão Conteúdo

17 de julho de 2019 | 11h26

A situação do Figueirense está cada vez mais delicada. Na manhã desta quarta-feira, os jogadores apresentaram uma lista de pendências a ser resolvida para colocar um fim na greve. Os atletas não treinam há dois dias e o STJD deu um limite de 15 dias para o clube quitar os débitos, antes de puni-lo por não cumprir um fair play trabalhista durante o Campeonato Brasileiro da Série B.

Entre as reivindicações estão: acerto de salários de funcionários, ajuda de custo das categorias de base, regularização das pendências de 2017 e 2018, férias e 13.º não pagos, premiações atrasadas, depósitos de FGTS, direitos de imagem em atraso, salário CLT dos profissionais e um posicionamento do presidente Cláudio Honigman, o que até agora não aconteceu.

A greve realizada pelos profissionais teve reflexo na base. Os jovens jogadores do Figueirense não treinaram nesta quarta-feira e estão em situação ainda mais complicada. Os débitos estão acumulados há 11 meses, sendo que a "ajuda de custo" é de R$ 350 por cabeça.

O Figueirense ainda aguarda até esta quarta-feira uma resposta do Elephant, empresa responsável pela gestão do clube, a respeito da situação. O Conselho Deliberativo notificou a gestora e aguarda por respostas no prazo final.

Apesar do atraso salarial, o Figueirense tem feito uma boa campanha na Série B. O clube catarinense é o sétimo colocado com 16 pontos, um atrás do Sport - primeiro clube dentro da zona de acesso à Série A.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.