Pilar Olivares/Reuters
Pilar Olivares/Reuters

Jogadores do Flamengo dividem méritos por virada e elogiam o técnico Abel Braga

Rubro-negro venceu o Athletico-PR, no Maracanã, com dois gols marcados no fim

Redação, Estadão Conteúdo

26 de maio de 2019 | 19h38

Se a torcida não poupou Abel Braga após a vitória sobre o Athletico-PR por 3 a 2, neste domingo, o elenco do Flamengo rasgou elogios ao treinador e fez questão de dividir os méritos com o comandante, que foi bastante xingado após o apito final da partida disputa no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, pelo Campeonato Brasileiro.

Criticado pela torcida pelas substituições feitas nos minutos finais com as entradas de Rodinei e Lincoln, preterindo o meia uruguaio Arrascaeta, Abel Braga foi abraçado por praticamente todo o time depois do apito final.

"A gente comemora com quem está mais perto, metade foi com a torcida, eu e mais alguns fomos abraçar o Abel e o pessoal que estava no banco. Assim é o Flamengo, é uma coisa só, um time", comentou o meia Everton Ribeiro, um dos poucos poupados das críticas pela torcida durante o jogo e que reconheceu a partida ruim.

"Saímos na frente no primeiro tempo, mas voltamos e fizemos um segundo tempo muito ruim. O Abel pediu uma proposta, a gente não fez e jogamos muito abaixo. No final, na vontade, superamos os desafios e conquistamos a vitória", acrescentou.

O goleiro Diego Alves, que fez importantes defesas durante o jogo, acabou eleito como melhor em campo, mas tratou de dividir o prêmio. "O craque do jogo deve ir para o time todo. O Abel tentou fazer as substituições. Isso aqui (troféu), para mim, sinceramente, não serve de nada. É muito difícil perder por 2 a 1 com a nossa torcida aqui. A gente fica feliz, mas isso aqui vai para o Abel e para todos os jogadores", disse.

O técnico, visivelmente constrangido, comentou que "é preciso por todo mundo para jogar com tantos jogos que temos disputado. O importante foi a vitória, mesmo ela acontecendo de uma maneira sofrida, com um gol no finalzinho e outro nos acréscimos. E não importante também dizer que o time deles veio com reservas, porque quem entra sempre dá o máximo", resumiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.