Mauro Pimentel/AFP
Mauro Pimentel/AFP

Jogadores do Fluminense descartam escolher rival na Sul-Americana

Após passar pelo Peñarol, equipe tricolor aguarda o vencedor de Montevideo Wanderers e Corinthians

Redação, Estadão Conteúdo

31 de julho de 2019 | 00h48

Diferentemente do que vem ocorrendo no Campeonato Brasileiro, o Fluminense fez uma grande partida na Copa Sul-Americana e confirmou a vaga às quartas de final ao derrotar o Peñarol pelo placar de 3 a 1, nesta terça-feira, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. Os jogadores deixaram os gramados negando escolher o próximo adversário do time no torneio, que sairá entre Montevideo Wanderers e Corinthians.

"Nunca vai ter preferência sobre um adversário ou outro. O que vier temos que encarar com toda a nossa força. Estamos disputando duas competições e precisamos focar nas duas. Vamos buscar o título da Sul-Americana e redimir no Brasileirão", disse Marcos Paulo, autor de dois gols.

O outro tento foi marcado por Yony González, que seguiu a linha de seu companheiro de equipe e também optou por não escolher o próximo adversário do Fluminense. "Todos os times são fortes. Agora é descansar e esperar nosso próximo rival. Será difícil, mas o Fluminense estará preparado", disse o colombiano.

BRASILEIRÃO 

Yony González falou também sobre a situação do time no Brasileirão. O Fluminense não vence há sete jogos e ocupa apenas a 17.ª colocação com nove pontos, dentro da zona de rebaixamento. Com 10, o Cruzeiro é o primeiro time fora da degola. O próximo compromisso do clube é neste sábado, às 19 horas, diante do Internacional, novamente no Maracanã.

"Estamos passando por um momento ruim no Brasileiro. É outro torneio. A torcida sonha com a Sul-Americana, mas temos que buscar um equilíbrio. Estamos trabalhando a cada dia para melhorar e dar a volta por cima", finalizou o atacante.

Tudo o que sabemos sobre:
FluminenseCopa Sul-americanafutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.