Kirill Kudryatsev/AFP
Kirill Kudryatsev/AFP

Jogadores do México apoiam Osorio e atacam críticas da torcida ao treinador

Treinador vinha sendo criticado antes de vitória sobre a Alemanha

Jamil Chade, enviado especial / Moscou, O Estado de S.Paulo

17 Junho 2018 | 16h26

Os jogadores mexicanos fizeram questão de usar a vitória por 1 a 0 contra a Alemanha, neste domingo, na estreia da Copa do Mundo, para mandar um recado duro contra os torcedores do país que tem sido muito críticos ao trabalho do treinador Juan Carlos Osorio.

+ 'Temos um futuro brilhante', diz Osorio após México bater Alemanha na estreia

+ Löw faz duras críticas à atuação alemã, mas diz que sua seleção avança às oitavas

"Esse é um recado aos pessimistas no México", disse Rafa Márquez, que entrou no segundo tempo para igualar um recorde com cinco Copas disputadas. "Mas seguiremos trabalhando. A cultura mexicana sempre foi assim. Nos dão mais valor no exterior que em nosso próprio país", criticou.

"Osorio nos deu as máximas ideias, trabalhou muito bem, tem dados. Ele pensou muito bem e o resultado está ai", defendeu. "Sempre acreditamos nele. Quem não acredita nele são as pessoas de fora", atacou. "Sabíamos que seria um jogo difícil. Mas trabalhamos bastante bem e o resultado surgiu. O objetivo era fazer dano ao time alemão logo no início", disse.

Rafa Márquez insiste que o objetivo agora é o de seguir vencendo para evitar um cruzamento nas oitavas de final contra o Brasil. "O ideal é assegurar o primeiro lugar em nosso grupo", afirmou. "Temos que buscar outro triunfo e trabalhar com humildade", completou.

 

O goleiro Guillermo Ochoa destacou o aspecto "histórico" da vitória. "Ganhar dos atuais campeões do mundo não é nada fácil", disse. "Muitos poucos esperavam isso. Mas fizemos um grande jogo e temos de destacar todos em campo", afirmou.

Ele também saiu em defesa de Osorio, ex-treinador do São Paulo por apenas quatro meses em 2015. "Internamente, a equipe sempre esteve tranquila", afirmou.

Ochoa lembrou ainda que bons resultados contra grandes equipes em Mundiais já é uma de suas marcas. "Em 2014, arrancamos um empate contra o Brasil no Brasil. Hoje, merecemos ganhar", completou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.