Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Jogadores do Palmeiras aprontam e invadem de surpresa coletiva de Felipão

Técnico esboçou um sorriso e largou um pouco convincente: 'Vocês vão ver'

Marcio Dolzan, Estadão Conteúdo

25 de novembro de 2018 | 21h06

O jogo nem havia acabado e o Palmeiras vencia por apenas 1 a 0, mas mesmo assim o banco de reservas do time já era uma extensão do espaço reservado à torcida paulista em São Januário. Assim como os torcedores na arquibancada, os jogadores agitavam camisas sobre a cabeça apenas à espera do apito final. E quando o árbitro Rafael Traci soou o apito, a festa palmeirense tomou conta do gramado.

A comemoração, claro, seguiu no vestiário. Enquanto os dois técnicos davam entrevistas na sala de imprensa do São Januário, era possível ouvir os gritos dos jogadores a poucos metros. Depois, fez-se um silêncio de poucos segundos que logo teria seu motivo revelado: um grupo de atletas do Palmeiras caminhou lentamente pelos apertados corredores da parte interna do estádio e invadiu a sala onde Felipão dava sua entrevista coletiva para lhe dar um banho com água fria e isotônicos. O técnico esboçou um sorriso e largou um pouco convincente 'vocês vão ver.'

Do lado de fora, conselheiros do clube eram os mais animados, enquanto os jogadores enalteciam a conquista que, para eles, ficou com o time que mais fez por merecer. "Esse grupo entrou para a história de um clube como o Palmeiras. Me emociono porque é muito importante", disse o volante Felipe Melo. "Creio que é um ano inesquecível. Lutamos por todos os títulos. Ganhei alguns campeonatos, mas esse entra num momento importante, é o mais difícil do mundo."

Apontado por muitos como o principal jogador do campeonato, o atacante Dudu também enalteceu o grupo. "O título é merecido. É o melhor time, o melhor elenco. Demonstrou isso o campeonato inteiro e a equipe está de parabéns pelo jogo", vibrou, quando deixava o estádio. O jogador recebeu um abraço e um beijo na testa do técnico Alberto Valentim, com quem trabalhou no ano passado no próprio Palmeiras.

Minutos antes, o treinador do Vasco se demonstrou feliz pela conquista do time que, em campo, derrotou sua equipe, resultado que ainda não livra o Vasco do rebaixamento. "É um grupo que ainda, 90% ou até mais, é de jogadores com quem trabalhei e cheguei a conquistar um título. Eu queria muito que eles fossem campeões, mas com uma vitória nossa e outro resultado lá no jogo do nosso rival (tropeço do Flamengo diante do Cruzeiro). É um time que merece", disse Valentim.

Os quase 20 mil vascaínos que deixavam o estádio incomodados pela derrota do time carioca aplaudiram o time paulista. As duas torcidas conviveram de forma pacífica, sendo que não foram poucos os torcedores do Palmeiras que acabaram assistindo ao jogo em meio aos do Vasco.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.