Jogadores do Palmeiras comemoram o empate fora de casa

Para o treinador Caio Júnior, a equipe alviverde tem boa capacidade de reação no segundo tempo

29 de julho de 2007 | 19h03

Após o empate em 1 a 1 com o Juventude, os jogadores do Palmeiras passaram rapidamente pelo saguão do Estádio Alfredo Jaconi, por causa do frio de cerca de 5ºC. A maioria considerou o resultado satisfatório. O técnico Caio Júnior ressaltou a melhora da equipe no segunto tempo, quando conseguiu buscar a igualdade no placar, após problemas na etapa inicial."O nosso primeiro tempo não foi bom, apesar de termos tido uma chance clara de marcar que o goleiro salvou. Se saíssemos na frente a história seria outra. Tivemos dificuldades no aspecto tático, pois Ivo e Renato (do Juventude) estavam desequilibrando. No segundo tempo, marcamos melhor e poderíamos ter vencido."Para o técnico palmeirense, nos últimos jogos a equipe tem mostrado boa capacidade de reação no segundo tempo, buscando empates ou vitórias. Mas o ideal seria começar melhor. "Estamos tomando uma boa postura na reta final dos jogos, o que mostra a boa preparação física e atitude. Mas precisamos começar bem, sem precisar tomar um gol para acender o time. Temos que descobrir por que não estamos com essa atitude no início."O atacante Luiz, autor do gol de empate, admitiu que o lance foi sem querer. "O Martinez chutou, eu tentei desviar da bola, mas ela tocou em mim e foi para o gol". Por isso, disse que o certo seria dividir a autoria. "Foi meio meu, meio do Martinez". Luiz ainda considerou que o empate, com a reação no segundo tempo, mostrou que "o Palmeiras tem um bom elenco. Não é um time apenas, mas um grupo forte e unido".Martinez lamentou que, no final, não ocorreu a virada no placar. "A gente pressionou em busca do resultado, pois queríamos vencer. Mas não conseguimos aproveitar as chances".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.