Sérgio Castro/Estadão
Sérgio Castro/Estadão

Palmeirenses destacam raça e lamentam empate com o Cruzeiro

Arouca ressalta empenho e Egídio prega foco na Copa do Brasil

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

21 Novembro 2015 | 21h40

Os jogadores do Palmeiras deixaram o gramado do estádio Allianz Parque com sentimentos distintos após o empate por 1 a 1 com o Cruzeiro, neste sábado. Ao mesmo tempo que comemoravam a vontade demonstrada, principalmente no segundo tempo, lamentaram mais um tropeço em casa.

"Temos que destacar a garra e o empenho da equipe. Tecnicamente não fomos bem, mas tivemos disposição e conseguimos empatar mesmo não tendo entrosamento. O importante foi o empenho que demonstramos", disse o volante Arouca.

Já o lateral-esquerdo Egídio lembrou que o empate acabou sendo ruim para os dois times. "Queríamos a vitória, claro. Era um jogo contra um time que estava competindo com a gente na tabela. Agora é pensar na Copa do Brasil", disse o jogador, lembrando da partida contra o Santos, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, pelo primeiro jogo da decisão da Copa do Brasil.

O lateral-esquerdo ainda comentou sobre o gol marcado por Lucas Barrios, que saiu após cruzamento dele. "Gabriel Jesus e eu sempre treinamentos essa jogada de tocar e passar. Eu tinha falado para o Barrios ficar mais na área e ele foi feliz para cabecear no ângulo. O empate não era o que a gente queria, mas é melhor do que perder".

Com o resultado, o Palmeiras chegou aos 50 pontos e precisa torcer por dezenas de resultados para conseguir brigar por uma vaga no G4. Internamente, antes mesmo do jogo contra o Cruzeiro, os palmeirenses já se colocavam fora da disputa.

Mais conteúdo sobre:
futebol Palmeiras Brasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.