Karim Jaafar / AFP
Karim Jaafar / AFP

Jogadores do Palmeiras pedem 'cabeça erguida' e focam novas decisões

Scarpa afirma que desempenho sólido do Tigres na partida não foi uma surpresa; Luiz Adriano acredita que time merecia melhor sorte

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de fevereiro de 2021 | 20h09

Os jogadores do Palmeiras deixaram o estádio Education City, em Doha, neste domingo, com o discurso de valorizar a boa temporada da equipe, apesar da decepção de ficar fora da final do Mundial de Clubes, no Catar. O fim do sonho de conquistar a competição não deve abalar o time, que ainda tem decisões pela frente, afirmou o meia Gustavo Scarpa.

"A equipe conquistou uma coisa muito importante para a história do clube, que é a Libertadores", disse o jogador. "Não entramos em campo nos apoiando nisso, tentamos dar o nosso melhor, mas agora é erguer a cabeça porque temos grandes decisões durante o ano: Copa do Brasil, Recopa. Enfim, não há tempo para baixar a cabeça."

As finais da Copa do Brasil estão marcadas para os dias 28 deste mês e 7 de março. O adversário do Palmeiras será o Grêmio. Em abril, com confrontos nas duas primeiras semanas, será a vez de disputar a Recopa Sul-Americana, contra o argentino Defensa y Justicia, campeão da Copa Sul-Americana.

Apesar da distância de 20 dias para a próxima partida decisiva, o Palmeiras quer digerir rapidamente a derrota para o Tigres, por 1 a 0, no Catar. "Saímos de cabeça erguida pelo que fizemos. A única conclusão deles foi um pênalti, no segundo tempo só teve isso. Eles tiveram mais chances no primeiro, nós no segundo. Mas estamos de parabéns pelo que apresentamos", disse Luiz Adriano.

O atacante protagonizou uma das melhores chances de gol do time brasileiro, nos minutos finais da partida. Em chute de fora da área, mandou por cima do travessão. "Jogamos muito bem, não é nervosismo ou concentração, é concentração de finalização. Eu deveria estar mais concentrado naquela bola."

Na avaliação de Luiz Adriano, o Palmeiras merecia a vitória. "Criamos situações claras de gols, eu errei em uma, teve muitas outras. A gente merecia bem a vitória, mas eles criaram também. Infelizmente cometemos o pênalti", afirmou, referindo-se ao lance que gerou o gol da partida, anotado pelo francês Gignac.

A boa atuação do atacante rival e o sólido desempenho coletivo do rival mexicano não foram uma surpresa para o Palmeiras, garante Gustavo Scarpa. "Não surpreenderam, porque a gente entrou em campo sabendo da qualidade deles. Eles têm grandes jogadores, a gente conhecia vários. Então não fomos pegos de surpresa, eles tiveram mérito. Temos que sair de cabeça erguida em busca da terceira colocação."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.