Jogadores do Palmeiras pregam cautela no Uruguai

O Palmeiras tem a necessidade de derrotar, ou ao menos conseguir um empate superior a 1 a 1, no Uruguai para avançar na Copa Libertadores, mas os jogadores prometem que o time não será afobado contra o Nacional. Para o volante Pierre, a equipe precisa ter tranquilidade para conquistar o resultado que lhe interessa.

AE, Agencia Estado

15 de junho de 2009 | 12h25

"Contra o Sport em Recife [vitória por 2a 0] e Colo Colo em Santiago [vitória por 1 a 0], tivemos paciência e concentração para não sofrer gol e aproveitar as oportunidades que tivemos. O nosso time sabe como lidar com esse tipo de situação e a receita é ter tranquilidade", lembrou.

Principal artilheiro do Palmeiras na temporada, Keirrison acredita que o momento de conseguir a vitória surgirá naturalmente. "A gente sabe da necessidade que temos para marcar um gol, mas não adianta partir para o ataque feito ''loucos''. Nosso time tem qualidade e costuma criar muitas chances por jogo", comentou.

Diego Souza tem opinião diferente. Para ele, o Palmeiras precisa fazer um gol no início da partida no Estádio Centenário. "Quanto mais rápido a gente marcar, melhor vai ser. Se isso acontecer, o Nacional vai ter que mudar a postura de jogo. Mas isso não quer dizer que a gente precise partir com tudo para o ataque. Tem que ter calma, saber tocar a bola e ''matar'' a partida quando tiver a chance", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa LibertadoresPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.