Jogadores do Santos não conseguem explicar vexame

'Espero que o resultado não abale o nosso time', diz o zagueiro Fabiano Eller após a derrota por 4 a 1

Rubens Santos, O Estado de S. Paulo

20 de setembro de 2008 | 21h03

Os jogadores do Santos não sabiam explicar direito a derrota sofrida em Goiânia, neste sábado, que acende mais uma vez o sinal de alerta. Apesar de estar fora da zona de rebaixamento, todos têm consciência de que a goleada por 4 a 1 diante do Goiás pode abalar o grupo e trazer de volta a crise que tinha ido embora. Veja também: Brasileirão Série A - Classificação Brasileirão Série A - Resultado / Calendário Dê seu palpite no Bolão Vip do LimãoSantos é massacrado pelo Goiás no Serra Dourada "Precisávamos entrar com calma. Mas não foi isso que aconteceu. Demos muitos espaços e o Goiás soube aproveitar. No segundo gol deles, fizemos uma linha de impedimento no meio-de-campo. Isso não pode acontecer", cobrava o volante Rodrigo Souto. "Espero que o resultado não abale o nosso time. A gente vinha numa boa seqüência e agora teremos dois jogos em casa (Portuguesa e Atlético-PR). Precisamos dos seis pontos porque ainda estamos em uma situação delicada no campeonato", disse o zagueiro Fabiano Eller. O atacante Kléber Pereira saiu cabisbaixo de campo. "Eu esperava uma partida totalmente diferente do que foi no primeiro turno", disse Kleber Pereira, o artilheiro do Brasileirão, com 18 gols, lembrando que, em casa e sob o comando de Cuca, o time levou de 4 a 0 do Goiás na Vila Belmiro. "Mas não entramos com seriedade, não entramos ligados no jogo", denunciou. "Uma derrota não estava nos planos, mas, assim que o jogo começou, parecia que estava 3 a 0 para a gente." O volante Rodrigo Souto, como os demais jogadores santistas, lamentou a derrota e a dificuldade para reagir diante do jogo ofensivo do alviverde. Mas entende que o time se preparou para fazer um bom jogo contra o Goiás. "As coisas não aconteceram como a gente queria, nada funcionou", defendeu o volante. "Sabemos que é difícil de se jogar aqui (Serra Dourada), mas esperávamos um melhor desempenho", avaliou Rodrigo Souto.  Para o técnico Márcio Fernandes, o Goiás criou e jogou melhor. "Tomamos os cuidados necessários quando se enfrenta uma grande equipe, bem treinada, com grande treinador", disse, nos vestiários. "O Santos é uma equipe que vem subindo de produção e, apesar da derrota, vai continuar subindo", prometeu. "Nós vamos dar a volta por cima", completou Kléber Pereira.

Tudo o que sabemos sobre:
Santos FCBrasileirão Série A

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.