Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters

Jogadores do São Paulo choram, quase negam medalhas, mas destacam força no fim

Ao final do jogo, atletas não quiseram ser premiados e foram para os vestiários, mas Raí os trouxe de volta ao gramado

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

21 de abril de 2019 | 18h32

Os jogadores do São Paulo deixaram o gramado da Arena Corinthians lamentando a perda do título, muitos deles chorando, mas fizeram questão de destacar a vontade e a dedicação dos atletas na decisão perdida para o Corinthians. Com gol de Vagner Love, o time alvinegro venceu por 2 a 1 e conquistou o tricampeonato estadual.

Com alguns nervosos e outros desolados, os atletas decidiram ir para os vestiários logo após o apito final, antes mesmo da premiação. O grupo havia decidido não participar da cerimônia de premiação, até que Raí, executivo de futebol tricolor, foi falar com o elenco e o trouxe de volta para o gramado. Logo após receber as medalhas, alguns deles logo a tiraram do peito, como o lateral Reinaldo, um dos mais exaltados com a bola rolando. Ele, LuanAntony foram alguns dos são-paulinos que choravam muito após o apito final. Luan caiu no gramado e precisou ser acolhido pelo técnico Cuca para se levantar e ir receber a medalha de vice-campeão.

Um dos líderes do grupo, Hudson elogiou o desempenho dos jogadores na saída do gramado. “A molecada está de parabéns. Fizemos uma boa campanha, mas infelizmente não conseguimos o título. Vamos seguir em frente e chegaremos forte para o Brasileirão”, disse o capitão, que iniciou a partida como lateral-direito e terminou como volante.

Para Arboleda, o time tricolor deixa uma boa impressão para a sequência da temporada. “Estamos triste pelo resultado, mas a gente brigou muito para estar aqui e deixamos o campeonato mais forte do que entramos. Vamos brigar muito por títulos nesse ano. A gente batalhou demais para ganhar esse título, mas não conseguimos. Fica a lição e a sensação de que estaremos forte”, comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.