Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Jogadores do São Paulo mostram apoio ao técnico Ney Franco

Conflitos no elenco e baixa popularidade com a torcida fazem treinador balançar no cargo

PAULO FAVERO, Agência Estado

18 de março de 2013 | 17h28

SÃO PAULO - Após a vitória sobre o Oeste no domingo, Ney Franco mandou um recado para o elenco do São Paulo, dizendo que não vai mais aceitar reclamações de quem for substituído. Nesta segunda-feira, os dois jogadores que deram entrevista no CT da Barra Funda, o zagueiro Edson Silva e o lateral-esquerdo Carleto, mostraram seu apoio ao treinador.

"Tivemos casos de reclamação por causa de substituições e conversei sobre isso com o time. Não admito que o jogador não aceite ser substituído. Se isso acontecer de novo, esse jogador não joga mais pelo São Paulo", chegou a dizer Ney Franco, em entrevista no domingo, depois dos recentes casos envolvendo o zagueiro Lúcio e o meia Ganso.

Os jogadores parecem ter entendido o recado do chefe. E o discurso no elenco são-paulino é de apoio a Ney Franco. "Tive oportunidade de trabalhar com ele em 2008 (no Botafogo) e ele sempre foi desse jeito, o que é certo é certo e o que é errado é errado. O que o treinador decidir está de bom tamanho e temos que respeitar", disse Edson Silva.

Assim como Edson Silva, Carleto também ressaltou na entrevista coletiva desta segunda-feira que não existe problema de relacionamento no grupo do São Paulo. "Temos de respeitar nosso comandante. Se ele achar que tem que tomar decisões, nós temos que aceitar. Para jogar com ele, temos que seguir o que ele pede", afirmou o lateral.

Apesar do discurso de apoio dos jogadores, a pressão tem aumentado bastante sobre Ney Franco no São Paulo. O time tem sido alvo de vaias dos torcedores nos últimos jogos e, apesar de estar na liderança do Paulistão, não consegue ter atuações convincentes. Para completar, ficou em situação complicada na luta pela vaga na Libertadores.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão Paulo FCNey Franco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.