Hélvio Romero/AE - 18/11/2009
Hélvio Romero/AE - 18/11/2009

Jogadores do São Paulo questionam companheiro Washington

Elenco não gostou das declarações do atacante, que reclamou da reserva na semifinal contra o Santos

GIULIANDER CARPES, O Estado de S. Paulo

19 de abril de 2010 | 19h59

Às vésperas de um dos jogos mais importantes da temporada - nesta quarta-feira, contra o Once Caldas, no Morumbi -, o São Paulo tem uma crise para resolver. Não repercutiram bem entre os dirigentes, o técnico e os jogadores as declarações de Washington após a derrota por 3 a 0 para o Santos, domingo, na Vila Belmiro. O centroavante foi cobrado duramente por todos logo na reapresentação do elenco.

 

Washington reclamou por ter sido tirado do time titular por Ricardo Gomes. De acordo com o artilheiro, o técnico bagunçou o time para a decisão contra os santistas. "Quando estou em campo, eu saio mais cedo. Quanto estou no banco, entro mais tarde", reclamou. "Estragaram o que estava certo. Uma das poucas coisas que o time tinha de correto foi tirada. Estou cansado de ser crucificado por erros dos outros", exagerou.

 

Ricardo Gomes reuniu os jogadores e cobrou o camisa 9 na frente de todos. Além disso, Washington também será punido. Cabe ao presidente Juvenal Juvêncio definir se haverá multa ou apenas uma repreensão. Pesa contra o atacante o fato de já ter reclamado publicamente por ter sido substituído outras vezes. Numa das mais incisivas, a desobediência colaborou para a demissão do técnico Muricy Ramalho, na metade do ano passado.

IRRESPONSABILIDADE

"O Washington foi irresponsável. Um jogador com a experiência dele não pode tomar esse tipo de atitude", declarou o superintendente de futebol, Marco Aurélio Cunha. "O caso foi passado ao presidente, que tomará a atitude necessária, seja verbalmente, seja mexendo no bolso. De alguma maneira, o processo do São Paulo vai ser firme. Ele precisa e vai entender que aqui as coisas são diferentes. Não foi a primeira vez que ele fez isso."

 

Os próprios jogadores ficaram incomodados com a atitude do companheiro. Tanto que apoiaram a reunião, convocada pelo treinador. "Um grupo quando é grande e qualificado vai sempre ter pessoas infelizes com a reserva, mas é preciso haver respeito", cobrou o volante Richarlyson, que jogou improvisado na lateral-esquerda no domingo. "Não vai ser falando que o jogador vai mostrar que tem condição de jogar, mas trabalhando. Não foi só o Washington que ficou fora. Tem o Marcelinho, o Léo Lima e muitos outros."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.