Jogadores exaltam 'espírito' da seleção após vitória

Neymar foi o grande destaque no amistoso entre Brasil e Portugal, nos Estados Unidos

AE, Agência Estado

11 de setembro de 2013 | 00h17

BOSTON - A seleção brasileira contou com um grande desempenho no primeiro tempo para bater Portugal por 3 a 1 nesta terça-feira, em jogo realizado em Boston. Além da boa atuação, o que os comandados de Luiz Felipe Scolari mostraram foi bastante luta, marcação pressão e vontade de vencer, que fizeram com que o amistoso parecesse mais uma final de campeonato. Este "espírito" foi exaltado pelo capitão e autor do primeiro gol, Thiago Silva.

"A gente vê os amistosos como preparação, a equipe está se empenhando ao máximo, como se valessem três pontos. Só assim vamos chegar bem na Copa do Mundo, por isso desde já estamos com esse espírito. Mostramos que temos personalidade, futebol para jogar com qualquer seleção. Conseguimos jogar em grupo e esse é nosso ponto principal", declarou, em entrevista ao SporTV.

A cada jogo, a briga vai afunilando e Felipão fica mais próximo de definir os 23 nomes que vão ao Mundial de 2014, em convocação que acontecerá em maio do ano que vem. Entre os que têm conseguido aproveitar cada chance está o atacante Jô. Nesta terça ele não apareceu muito, mas conseguiu deixar sua marca no terceiro gol brasileiro.

"Em todo amistoso temos que entrar com essa determinação, porque é o que mostramos no título da Copa das Confederações. Então fizemos mais um grande jogo nessa preparação", disse. "Cada convocação é uma final. Todos estão se dedicando, então o Felipão deve estar contente porque todos querem uma vaguinha em maio", disse.

Mas o maior destaque brasileiro nesta terça foi mesmo Neymar. Além da assistência para Thiago Silva, o atacante do Barcelona fez um golaço, o segundo do Brasil. Ele ainda apareceu em diversas jogadas de efeito e sofreu com a marcação rival. "Esperava um jogo truncado, eles têm uma equipe muito forte fisicamente", comentou.

Mesmo sem correr nenhum risco de não ir à Copa, a não ser por lesão, Neymar garantiu que também encara cada amistoso como mais um teste para provar para Felipão que pode estar entre os 23. "Infelizmente são só 23 que vão para o Mundial, não pode ser mais. Tem muita gente boa que merece e vai embora."

Se são 23 os convocados, apenas 22 estão na briga. Isso porque Scolari já avisou que o goleiro Julio Cesar está garantido no grupo. A declaração, no entanto, foi minimizada pelo jogador. "Também fui pego de surpresa. Foi mais uma situação em que o Felipão quis me proteger. O ano para mim está começando agora, depois de toda a confusão das negociações. Tenho que manter uma regularidade no meu clube (Queens Park Rangers, da segunda divisão inglesa), manter o foco e jogar bem esses oito meses para estar entre os 23."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.