Jogadores marcam "golaço" social

Raí e Leonardo estão provando que atletas ligados ao futebol são capazes de "pôr a mão na massa" e criar entidades assistenciais de sucesso. A Fundação Gol de Letra, gerenciada pelos dois ex-jogadores, está em funcionamento há apenas três anos na capital paulista e em Niterói (RJ) e já é considerada referência mundial pela Nações Unidas para a Organização Educacional, Científica e Cultural (Unesco). No ano passado, a Academia Brasileira de Educadores quebrou um tabu de premiar apenas profissionais do setor e apontou a dupla como "Educadores do ano de 2001".Leia mais no Estadão

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.