Jogadores pedem cuidado com Pizarro

O melhor atacante peruano é Claudio Pizarro. A principal opção no banco de reservas é Paolo Guerrero. Quem os conhece bem são o zagueiro Lúcio e o volante Zé Roberto, colegas de ambos no Bayern de Munique, da Alemanha. E tanto Lúcio como Zé Roberto alertam: "São dois atacantes muito perigosos. Temos que ficar de olho neles".Quem mais preocupa, segundo Lúcio, é Pizarro. "Ele chuta muito bem de média distância e tem feito muitos gols de cabeça na Alemanha. É um ótimo homem de área". O zagueiro conta que conversou bastante com o atacante peruano Pizarro nos últimos treinos do Bayern, antes de cada um se apresentar à sua respectiva seleção nacional."Ele queria detalhes sobre a cidade de Goiânia, o clima...", diz Lúcio. "E chegou a brincar comigo, dizendo que um ponto estaria de ótimo tamanho para o Peru. Mas vamos fazer de tudo para que isso não aconteça. Precisamos vencer esse jogo para continuarmos bem na luta pela classificação".Lúcio, porém, afirma que não se trata de um "duelo à parte". Ele lembra que apesar de conhecer bem as qualidades de Pizarro, não tem o costume de enfrentá-lo nos treinamentos do Bayern. "Os treinos lá são diferentes. Eles fazem poucos coletivos. Isso é coisa rara. A maioria dos treinos é físico e tático".Quem também conhece muito bem as qualidades de Pizarro é o outro zagueiro titular da seleção brasileira, Juan. Ele é jogador do Bayer Leverkusen, e está acostumado a enfrentar o peruano pelo Campeonato Alemão. Juan elogia bastante Pizarro, mas adverte que é preciso atenção com todo o time peruano. "A seleção do Peru é um time traiçoeiro. Eles surpreenderam e conseguiram um bom empate no Paraguai jogando só nos contra-ataques".Já Paolo Guerrero, de acordo com seus colegas brasileiros Lúcio e Zé Roberto, é igualmente talentoso, mas tem poucas chances de atuar hoje, em Goiânia. "Ele se machucou e o clube nem queria liberá-lo", disse Zé Roberto. Mas liberou e Guerrero desembarcou em Goiânia confiante. "Eu me sinto bem. Sei que não serei titular, mas o professor Autuori pode contar comigo para o segundo tempo", disse o peruano a agências de notícias internacionais.Para o técnico Parreira, "o Peru tem hoje um poderio ofensivo que há muito tempo não tinha". Além de Guerrero e Pizarro, ele destaca o talento de Farfán, um jovem muito veloz que tem feito sucesso no PSV, líder do Campeonato Holandês e único representante daquele país nas quartas-de-final da Liga dos Campeões da Europa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.