Jogadores pedem para Flu 'tocar a vida' após polêmica com Fred

A rebeldia de Fred, que não pretende mais jogar pelo Fluminense enquanto Levir Culpi for o técnico do clube, segue sendo o assunto principal nas Laranjeiras. Nesta quarta-feira à tarde, o elenco treinou pela primeira vez sem o atacante, que foi afastado e trabalhou sozinho pela manhã.

Estadão Conteúdo

13 de abril de 2016 | 20h14

Após a atividade, o volante Edson e o meio Gustavo Scarpa foram escalados para conceder entrevista. Os dois se mostraram constrangidos de falar a respeito da atitude de Fred, então capitão do time e maior ídolo da torcida. Mas tanto Edson quanto Scarpa pediram para que o elenco esqueça o imbróglio e siga em frente.

"Fred é um ídolo. Mas a gente não pode contar com ele. Até se torna chato esse assunto. O Fluminense tem de tocar a vida. Vamos nos focar nas finais. É um assunto interno, da direção. Claro que ele faz falta, mas temos de jogar do mesmo jeito", disse o volante.

O Fluminense joga domingo contra o Vasco, em Manaus, precisando de um empate para garantir o título da Taça Guanabara e assegurar a vantagem de jogar por empates na semifinal (em jogo único) e nas do Carioca. Depois, na quarta, decide a Copa Sul-Minas-Rio contra o Atlético-PR, em Juiz de Fora.

Para Scarpa, o momento do Fluminense é em pensar no futuro. "Temos de pensar na gente. Fica um assunto meio chato, pesado para gente. Como o presidente falou ontem (terça-feira), não tem anda resolvido. O Fred sabe da importância que tem, do carinho que temos por ele. Estamos aqui para fazer o melhor independentemente de o Fred jogar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.