Jogadores protestam contra violência

As partidas das quatro divisões do futebol profissional da Itália marcadas para este final de semana vão começar com 15 minutos de atraso, numa manifestação de protesto dos jogadores. Os atletas estão assustados com o crescente aumento nos casos de agressões perpetrados por torcedores. O protesto foi decidido na noite desta segunda-feira pela Associação Italiana de Jogadores de Futebol, numa tentativa de colocar um fim na onda de agressões. O último incidente aconteceu domingo depois da partida em que o Torino perdeu por 4 a 0, em casa, para o Parma. Os jogadores do Torino tiveram de deixar o campo do Delle Alpi sob proteção policial. As ameaças, no entanto, não ocorrem apenas nos estádios. O zagueiro do Napoli, Francesco Baldini, foi agredido por torcedores quando estava próximo à sua casa. Além de agredir, os torcedores danificaram o carro do jogador. O francês Jonathan Zebina (Roma) e o meio-campista Nicola Corrent (Como) foram molestados por torcedores ao final de treinamentos. O mais grave, no entanto, foi contra o goleiro Messina, do Cagliari (da 2ª Divisão). No dia 17 de novembro ele foi atingido por um torcedor com um golpe na cabeça e caiu inconsciente. Foi encaminhado a um hospital com traumatismo encefálico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.