Jogadores reclamam de juiz e Palmeiras vai protestar

Os jogadores do Palmeiras ficaram revoltados com o árbitro Fabrício Neves Correa. No final do jogo, cercaram o trio de arbitragem reclamando dos dois gols marcados pelo Cruzeiro e pela anulação - correta - de um gol de João Vítor no último minuto e só deixaram o gramado após a polícia proteger o árbitro.

AE, Agência Estado

29 de julho de 2012 | 21h06

"Toda hora tem erro contra a gente. Fica difícil assim", desabafou o atacante Maikon Leite, pouco antes de receber o aviso do técnico Luiz Felipe Scolari para que não desse entrevista. O treinador, irritado, também não quis dar entrevista coletiva neste domingo.

Quem falou foi o vice-presidente de futebol, Roberto Frizzo. "Estamos sendo castigados pela arbitragem em vários jogos. Mais uma vez não perdemos no campo, mas sim, pela arbitragem. Vamos fazer um protesto. Estamos decepcionados."

O capitão e zagueiro Henrique também preferiu não falar, por receio de ser punido pelo STJD. Já o goleiro Bruno, um dos melhores do Palmeiras em campo, também reclamou e admitiu que estar na zona de rebaixamento preocupa.

"Não foi pênalti. Se foi falta, foi fora da área. A zona de rebaixamento é algo para se preocupar. Não podemos ficar lá atrás. Precisamos fazer mais pelo Palmeiras", resumiu. Sobre sua atuação, mostrou indiferença. "Não adiantou nada eu ter ido bem hoje (domingo). Perdemos do mesmo jeito."

Em relação ao time, o lateral-direito Cicinho foi liberado do jogo deste domingo para acertar os últimos detalhes e fechar sua transferência para o Sevilla.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.