Jogo aéreo funciona e Tottenham vira contra Fulham nos acréscimos pelo Inglês

Jogo aéreo funciona e Tottenham vira contra Fulham nos acréscimos pelo Inglês

Harry Winks marca aos 48 do segundo tempo e decreta triunfo por 2 a 1 no clássico londrino

Redação, Estadao Conteudo

20 de janeiro de 2019 | 16h21

O Tottenham sofreu, mas venceu o Fulham por 2 a 1, de virada, neste domingo, fora de casa, pelo Campeonato Inglês. O time do técnico argentino Mauricio Pochettino superou os desfalques dos atacantes Lucas Moura e Harry Kane, machucados, e Heung-Min Son, que defende a Coreia do Sul na Copa da Ásia, para triunfar no estádio Craven Cottage.

Passadas 23 rodadas, o Tottenham agora soma 51 pontos, nove a menos do que o Liverpool, líder do torneio. Se o título está difícil, o time de Londres, que ocupa o terceiro lugar, tem sete de vantagem para Arsenal e Manchester United, que buscam entrar no G-4 do Campeonato Inglês para disputar a próxima edição da Liga dos Campeões da Europa.

Sem Kane, Fernando Llorente foi escolhido para ser o centroavante titular, mas o espanhol fez um gol contra. Em um lance casual, aos 16 minutos do primeiro tempo, a bola desviou no pé do atacante e traiu o goleiro Hugo Lloris, em desvantagem no placar que o Tottenham não conseguiu superar até o final do primeiro tempo.

Na etapa final, o time visitante mostrou pouco repertório, mas a insistência na bola aérea funcionou. Aos cinco minutos, Dele Alli cabeceou para o gol de dentro da pequena área, após receber passe perfeito de Christian Eriksen. A virada só saiu aos 48, quando Harry Winks aproveitou cruzamento de Georges-Kevin Nkoudou, feito pela esquerda.

Nesta quinta-feira, o Tottenham vai enfrentar o Chelsea, pela partida de volta da semifinal da Copa da Liga Inglesa, fora de casa, após vitória por 1 a 0 no estádio de Wembley, em Londres. Já o Fulham, 19.º colocado no Campeonato Inglês, portanto o penúltimo colocado, só vai voltar a campo no próximo dia 29 contra o Brighton, em casa, pelo torneio nacional.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.