Jogo da Inglaterra terá transmissão só pela internet

Torcedores ficam chateados por não poder ver o jogo nos pubs; English Team encara a Ucrânia

Daniela Milanese, Agencia Estado

09 de outubro de 2009 | 16h25

Toby Melville/Reuters

Fabio Capello (costas) conversa com Terry, Beckham e Lampard; Inglaterra 100% nas Eliminatórias

LONDRES - Neste sábado, os ingleses vão ficar sem o seu lazer favorito: assistir ao jogo da seleção de futebol da Inglaterra no ambiente descontraído dos pubs. Pela primeira vez, uma partida do English Team será transmitida exclusivamente pela internet e por alguns cinemas do país. Os canais de TV não vão mostrar a disputa contra a Ucrânia, em Dnepropetrovsk, pelas Eliminatórias para a Copa de 2010, fato que levanta polêmica entre os torcedores.

Não se pode dizer que a novidade é reflexo de uma vanguarda tecnológica protagonizada pela Inglaterra. Na verdade, é resultado da falência do canal Setanta, que detinha os direitos de transmissão do jogo, e da falta de interesse das emissoras do país, sob o argumento de que a seleção inglesa já está classificada para a Copa de 2010 - a partida contra a Ucrânia será apenas para cumprir tabela.

A imprensa britânica diz que há negociações de última hora com as tevês, mas as chances de sucesso são reduzidas. Para garantir, os torcedores que não se dispuserem a viajar para a Ucrânia têm de comprar o direito de assistir ao jogo pela internet, no esquema organizado pela empresa de mídia Perform.

O preço aumenta com o passar dos dias. Até quarta-feira, o "ingresso" custava cerca de R$ 15,00, mas quem deixar para comprar apenas neste sábado desembolsará perto de R$ 35,00.Na rede de cinemas Odeon, que terá exclusividade de transmissão do jogo, a entrada na sala mais famosa de Londres, em Leicester Square, também custa R$ 35,00.

Os valores são uma das várias reclamações dos torcedores ingleses, que ficaram enfurecidos com o fato de não poderem ver a seleção pela TV, exatamente agora que estão tão empolgados com as vitórias em todos os oito jogos disputados até agora nas Eliminatórias. Também pesa muito terem de trocar o habitat natural dos pubs por uma tela de computador. A transmissão pela internet não pode ter uso comercial, o que exclui os bares do esquema.

Além disso, há dúvidas sobre a capacidade técnica da rede de banda larga do país. A Perform colocou um teto de um milhão de assinaturas para o jogo, para garantir a qualidade. Mas a experiência diária com os problemas dos vídeos na internet deixa os fãs apreensivos. "Estou preocupado porque não poderei ver o jogo no meu ambiente predileto, no pub com meus amigos", disse um torcedor em um dos vários debates sobre o tema na web. "E quem vai querer a cobertura interrompida nos momentos importantes pela palavra ''buffering''", questionou, explicando que a transmissão poderá ser atrapalhada por possíveis problemas no armazenamento de dados para geração das imagens em tempo real.

A maior parte dos pubs ingleses anuncia como atrativo a exibição da partida entre Rússia e Alemanha, também neste sábado, pelas Eliminatórias. Mas há quem busque alternativas. "Conseguimos a transmissão do jogo da Inglaterra de um canal italiano com comentários em inglês", afirmou a atendente de um pub no sudoeste de Londres.

No meio das reclamações, também surgem afirmações de apoio à web. Brian Moore, comentarista do jornal Daily Telegraph, acredita que a transmissão de jogo somente pela internet é o futuro. "A reação causada às vezes beira a histeria e demonstra a divisão entre a geração da internet e a do resto", escreveu.

Moore já vislumbra um futuro no qual os clubes terão as suas próprias câmeras e serão os responsáveis pela transmissão, embolsando uma receita disputada. Moore também já pensou numa solução para os pubs: basta comprarem telas de plasma e conectarem nos computadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.