Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Jogo diante do Paraná é especial para o volante Bruno Henrique

Meia é um dos principais nomes do Palmeiras na temporada 2018

Estadão Conteúdo

17 de novembro de 2018 | 16h26

Além de poder aproximar o Palmeiras ainda mais do título do Campeonato Brasileiro, o jogo deste domingo diante do Paraná, em Londrina (PR), é especial para Bruno Henrique. Um dos destaques do líder, o volante voltará a jogar perto de casa com um status bem diferente daquele quando deixou o Paraná após comemorar os seus primeiros títulos como jogador profissional: os Campeonatos Paranaense do Interior de 2010 e 2013, por Irati e Londrina, respectivamente.

Natural de Apucarana (PR), cidade vizinha à Londrina, Bruno Henrique não atua no estádio do Café desde o amistoso do Londrina contra o São Paulo, em 22 de maio de 2013. Aos 29 anos, ele é o capitão palmeirense e está próximo de levantar a taça de campeão brasileiro pela segunda vez na carreira (foi campeão em 2015, pelo Corinthians).

"Será especial poder voltar a jogar no estádio do Café. Creio que estou vivendo a melhor temporada da minha carreira e tudo isso só está acontecendo porque o Irati e o Londrina abriram as portas para mim há alguns anos. Fico contente por tudo o que já passei no futebol e agora espero conseguir mais uma vitória pra ficar ainda mais próximo desse título pelo Palmeiras", disse Bruno Henrique.

Com 15 gols na temporada, Bruno Henrique é o volante com mais bolas na rede no futebol nacional em 2018. Somente no Brasileirão, já são oito, um a menos que Willian, artilheiro do time no campeonato. Além disso, o camisa 19 é, ao lado de Dudu, o segundo jogador do elenco que mais atuou na temporada, com 62 jogos disputados, atrás apenas de Willian, que soma 65 atuações.

Desde que chegou ao clube alviverde no ano passado, Bruno Henrique entrou em campo 79 vezes, marcou 17 gols e deu cinco assistências.

No jogo contra o Paraná, caso entre em campo como capitão, será a 28.ª vez na temporada que Bruno Henrique usará a braçadeira. Com isso, ultrapassará Dudu, que exerceu a função em 27 oportunidades.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.