Jogo é teste para segurança no Estádio da Vila Belmiro

O clássico Santos x Corinthians, nesta quarta-feira à noite, também será decisivo para o futuro do Estádio da Vila Belmiro. As autoridades e os dirigentes do Santos prevêem um jogo sem incidentes, graças aos cuidados que estão sendo tomados, desde a inauguração do Jecrim - Juizado Especial Criminal -, com um juiz, um promotor e um defensor público, e que tem poder de julgar e condenar autores de crimes de pequeno potencial e mandá-los direto para a cadeia. Os envolvidos em ocorrências mais graves serão encaminhados ao 1º. Distrito Policial, no Centro velho de Santos. Os portões da Vila Belmiro serão abertos duas horas e 45 minutos antes do clássico, mas no final da tarde, as vias em torno do estádio serão interditadas e a Vila ficará sitiada. Só poderá passar pelos oito pontos de bloqueios o torcedor que tiver ingresso. Por exigência da Polícia Militar, as torcidas organizadas do Corinthians devem estar acomodadas nas arquibancadas atrás do gol dos fundos da Vila Belmiro antes do início do clássico. E o setor em que houve tumulto no dia 11, no jogo entre Santos e São Paulo, vai ficar vazio. O tenente coronel Del Bel, comandante do 6º. BPMI e responsável pelo esquema de segurança do jogo, numa reunião com chefes de uniformizadas, segunda-feira à noite, resolveu permitir que cada torcida possa entrar com uma faixa. Como sabem que um copo d´água ou um chinelo atirado no campo será um forte argumento para a FPF vetar a Vila Belmiro para jogos das semifinais e finais, os dirigentes pediram que seis policiais vigiem os torcedores das sociais. "Isso é necessário por causa de dois, três, cinco ignorantes", desabafou o presidente santista, Marcelo Teixeira. No setor ficam os sócios mais antigos e torcedores ilustres do clube, porém, é de lá que ultimamente tem partido alguns objetos atirados em campo. Também houve troca de aparelhos utilizados no monitoramento para facilitar a identificação dos envolvidos em brigas e atos de vandalismo pelos 320 policiais militares que vão trabalhar no interior e na parte externa do estádio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.