Jogo em Lima terá seis mil policiais

As autoridades peruanas não querem correr o menor risco na partida contra o Brasil, domingo, em Lima. Nada menos que 6 mil policiais, distribuídos no estádio e fora dele, serão destacados para realizar a segurança do jogo. Do total, 1.200 ficarão dentro do Estádio Monumental. Nas ruas de Lima, placas de publicidade chamam a atenção para o jogo. Pedem que o Peru tenha muita garra e força de vontade, que não tema a Seleção Brasileira. Querem que os peruanos joguem com coragem?Neste domingo seremos apenas um grito?, pede o cartaz de incentivo. O técnico Paulo Autuori e os jogadores peruanos acreditam que a equipe brasileira perdeu força com as ausências de Roberto Carlos e Ronaldinho Gaúcho, contundidos. Por isso, acham que podem mostrar a mesma força da partida de estréia, contra o Paraguai (vitória de 4 a 1). Os peruanos comemoraram muito o fato de os dois jogadores brasileiros não estarem em campo no domingo. ?O Brasil é um adversário muito difícil, mas é perfeitamente possível vencê-los?, disse o atacante Pizarro, do Bayern de Munique, um dos destaques do time peruano. ?Confiamos na qualidade dos nossos jogadores. Temos um bom sistema tático e faremos de tudo para vencer.?Apesar de reconhecer a superioridade da Seleção Brasileira, Pizarro acredita que o seu time está dando valor exagerado ao adversário. ?É claro que devemos nos concentrar no Brasil; precisamos confiar mais em nós mesmos e no nosso potencial. Vamos jogar em casa. Temos tudo para conseguir três pontos.? Depois de vencer o Paraguai por 4 a 1 na estréia nas Eliminatórias, os peruanos foram derrotados pelo Chile por 2 a 1 em Santiago.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.