Jogo entre Besiktas e Maccabi preocupa polícia turca

A partida entre Besiktas, da Turquia, e Maccabi Tel Aviv, de Israel, nesta quinta-feira, pela primeira rodada da fase de grupos da Liga Europa, está causando sérias preocupações às autoridades. Com o clima político conturbado entre os países, existe o temor de que ocorram protestos, inclusive um possível plano de invasão de campo por parte dos torcedores turcos.

AE-AP, Agência Estado

14 de setembro de 2011 | 10h00

"Tanto o Besiktas quanto a Polícia de Istambul estão observando de perto e tomando as medidas necessárias", afirmou o clube turco. "Vemos o jogo como uma oportunidade para nossos fãs, que são conhecidos por serem receptivos e leais, de mostrarem novamente sua hospitalidade. É tarefa deles evitar algumas ações que possam levar o clube a ser sancionado pela Uefa", completou.

O jogo desta quinta acontece em meio a um clima de tensão entre as nações. Israel se recusou a pedir desculpas por um ataque a um navio turco na Faixa de Gaza, ocorrido ano passado, que matou nove ativistas, o que levou a Turquia a expulsar diplomatas israelenses, além de cortar laços militares com o país.

Para evitar qualquer tipo de retaliação, o Maccabi Tel-Aviv chegou a Istambul sob forte esquema de segurança. A estrutura foi requerida pelo governo turco, que negou-se a levar a partida para um local neutro, como foi especulado há algumas semanas. "Política e futebol nunca deveriam ser misturadas. Não temos preocupação de estar aqui. Não temos medo", disse o técnico do Maccabi, Mordehay Iwanir.

O objetivo das autoridades do país é evitar que se repita o que aconteceu no Campeonato Europeu de Basquete de 2009, quando o time israelense do Bnei Hasharon, que enfrentava o Turk Telekom, em Ancara, foi obrigado a fugir para o vestiário enquanto centenas de torcedores lançavam garrafas na quadra, protestando contra uma ofensiva de Israel na faixa de Gaza.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.