Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia
Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia

'Ba-Vi mais importante do que o normal', diz técnico Sérgio Soares

Treinador do Bahia destaca caráter decisivo do clássico

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

03 de outubro de 2015 | 08h00

“Um Ba-Vi muito mais importante do que o normal”. É assim que Sérgio Soares, técnico do Bahia, define o clássico deste sábado com o Vitória, às 16h30, na Arena Fonte Nova.

O que faz a partida desta tarde ser tão aguardada em Salvador é a posição das duas equipes na tabela de classificação da Série B do Campeonato Brasileiro. Apenas dois pontos separam os dois times. O Rubro-Negro está na frente (49 a 47), mas o Tricolor conta com o apoio da sua torcida para deixar o arquirrival para trás.

Como mandante, o Bahia tem direito a 90% dos ingressos. A expectativa é de recorde de público da equipe na Série B, superando os 31.398 pagantes da partida contra o Botafogo, em julho, na Fonte Nova. 

“Esse é o tipo de jogo no qual uma vitória vale mais do que três pontos porque nos aproximaria do acesso à Série A. A expectativa é muito grande por tudo o que envolve os dois clubes”, diz Sérgio Soares.

Com passagens por clubes como Ceará, Santo André e Grêmio Barueri, o treinador vê esta edição da Série B como a mais equilibrada dos últimos anos. Na opinião de Sérgio Soares, pelo menos oito clubes estão brigando em pelo G-4.

“As equipes estão muito iguais. Os times que caíram da Série A normalmente têm um investimento maior do que os outros, mas isso não aconteceu este ano e provocou uma igualdade em termos técnicos. De todas as Séries B que eu disputei, essa é a mais equilibrada. A briga é muito grande e cada jogo acaba virando uma decisão”, disse.

Um dos diferenciais da campanha do Bahia este ano é a aposta em jogadores revelados do clube. No elenco atual, 14 atletas vieram das categorias de base, com destaque para o goleiro Jean, o volante Yuri, os meias Gustavo Blanco e Rômulo e o lateral Vítor.

“Quando sentei com o presidente para assinar o meu contrato, ali já ficou claro que a intenção do clube era aproveitar o maior número possível de atletas da base. Dentro dessa filosofia, fomos olhar quem tinha condições de fazer parte do elenco profissional e demos oportunidade aos garotos. Muitos aproveitaram a chance e acabaram se firmando”, conta Sérgio Soares.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolBahia ECSérie B

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.