Washington Alves/Reuters
Washington Alves/Reuters

Jogo no Mineirão termina com confusões e soco em palmeirense

Apito final é seguido de briga, soco do cruzeirense Sassá no lateral Mayke e conflito entre torcida e policiais

O Estado de S. Paulo

27 de setembro de 2018 | 00h30

A semifinal da Copa do Brasil, nesta quarta-feira, no Mineirão, terminou com muita confusão após o empate por 1 a 1 entre Palmeiras e Cruzeiro. Após o apito final os jogadores se empurraram e discutiram em campo, houve três expulsões, e o clima tenso se estendeu aos assentos da arena, onde torcedores da equipe paulista entraram em conflito com policiais.

O jogo terminou aos 53 minutos do segundo tempo, quando se iniciou uma discussão. O lateral palmeirense Mayke, que estava no banco de reservas, se irritou por ter levado no rosto um soco de Sassá, do Cruzeiro. Imagens do canal Fox Sports mostraram a ação. Além disso, mais atletas discutiram, como Diogo Barbosa, do Palmeiras, que tentou agredir Léo.

O intenso empurra-empurra levou o árbitro Wagner Magalhães expulsar três jogadores. Mayke, Sassá e Diogo Barbosa ganharam o cartão vermelho. No túnel de entrada aos vestiários o ambiente de briga continuou. Alguns atletas se xingaram e precisaram ser contidos por seguranças para não partirem para a agressão. Sassá era um dos mais exaltados. O técnico do Palmeiras, Luiz Felipe Scolari, fez uma provocação, revelada por imagens do canal SporTV: "Vocês vão lá domingo, esperem sentadinhos", disse em referência ao jogo entre as duas equipes pelo Brasileirão, no domingo.  

A torcida do Palmeiras também passou por momentos complicados depois do jogo. Parte do público entrou em conflito com a polícia, que foi ao local para retirar alguns torcedores.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.