Luciano Claudino
Luciano Claudino

Jogos desta quarta elevam riscos de forma 'incalculável', diz PM

Polícia Militar informa que pediu a alteração da data dos jogos de São Paulo e Corinthians, mas não foi atendida pela FPF

Gonçalo Junior, O Estado de S. Paulo

03 de fevereiro de 2015 | 15h41

A Polícia Militar informa que pediu à Federação Paulista de Futebol (FPF) a alteração da data de um dos jogos marcados para esta quarta-feira (do São Paulo ou do Corinthians), mas a mudança não foi feita. O São Paulo vai enfrentar o Capivariano, às 19h30, no Pacaembu enquanto o Corinthians vai jogar contra o Once Caldas, às 22 horas, na Arena Corinthians. "O Comando da PM sugere à FPF a alteração por considerar que num jogo com duas torcidas rivais, mesmo que em jogos diferentes, a concentração de pessoas é grande em metrôs, trens, terminais de ônibus, cujos torcedores se caracterizam com vestimentas e adornos dos times para os quais torcem", diz e-mail enviado ao Estado e assinado pelo tenente Júlio Cesar Badini, do 2º Batalhão de Choque da Polícia Militar. 

"Nesse caso (dois jogos no mesmo dia), há um aumento de forma exponencial e incalculável de risco de confrontos e quebra da ordem pública, colocando em risco a integridade física de pessoas, além de causar danos ao patrimônio público e privado", continua a nota.  

Com a confirmação da realização dos dois jogos, a Polícia Militar revela que haverá "um reforço no número de policiais para realizarem a busca pessoal nos portões dos estádios, a segurança nas chegadas das delegações e das torcidas organizadas. Serão realizadas escoltas para as delegações e torcidas organizadas". 


A reunião de planejamento das ações de policiamento e transporte, realizada na segunda-feira com a presença de policiais e representantes do Metrô e CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), definiu que apenas os torcedores uniformizados do São Paulo vão utilizar o transporte público. A torcida do Corinthians vai utilizar meios próprios para chegar à Arena Corinthians. Mesmo com o acordo firmado na reunião, torcedores comuns, fora das organizadas, deverão usar trem e metrô, o que aumenta o risco de confrontos antes e depois das partidas. 

“A organizada do Corinthians se comprometeu a não usar o transporte público. Nós informamos os torcedores sobre os eventos, adotamos as medidas de segurança, mas não podemos restringir o acesso dos torcedores comuns ao transporte público”, diz o tenente Vasconcelos, do 2.º Batalhão de Choque da Polícia Militar. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.